Por Marina Sequinel

fila

A demora entre um coletivo e outro contribui para a superlotação dos ônibus. (Foto: Vinícius Tümmler)

Usuários da linha de ônibus Curitiba/Campo Largo não aguentam mais os transtornos que enfrentam para passar pela BR-277 todos os dias. As viagens lentas e em veículos superlotados, são causados, segundo eles, pelas obras na rodovia somadas a demora da chegada entre um coletivo e outro no Terminal Campina do Siqueira.

Na noite desta segunda-feira (28), o trecho de 27 quilômetros que liga a cidade da região metropolitana à capital demorou até três horas para ser feito – quando normalmente leva 30 minutos. A fila no terminal chegou a triplicar de tamanho e surpreendeu os usuários. Muitos relatos de indignação ganharam repercussão na rede social Facebook. “Todo dia é assim. A situação está só piorando, é lamentável”, disse um internauta. “Feliz é quem pega os outros ônibus, porque enquanto passam 20 coletivos de outras linhas, chega apenas um Curitiba/Campo Largo”, afirmou outro.

Algumas pessoas agradeceram por não terem mais que realizar o trajeto todos os dias. “Ter me mudado para Curitiba foi a melhor escolha que fiz. Está impossível trafegar na BR-277 ultimamente. É um completo descaso com as pessoas”, afirmou outra campolarguense.

fila-campina-300414-bandabdentro

A fila no Terminal do Campina do Siqueira assustou os usuários nesta segunda-feira. (Foto: Bruna Fernandes)

A demora no começo da semana aconteceu por causa de obras realizadas pela concessionária que administra a rodovia, a CCR Rodonorte. De acordo com a empresa, a intervenção feita na ocasião foi mais específica e não acontece com frequência. Como a escavação para a troca do asfalto foi profunda, os operários tiveram que isolar a área do km 14 por mais tempo.

Ainda segundo a Rodonorte, todas as obras no trecho da BR-277 serão paralisadas a partir desta quarta-feira (30) e retomadas na sexta (2) e no sábado (3). Na segunda (5), o calendário das alterações nas rodovias segue normalmente. Ainda não há previsão para a próxima intervenção mais complexa, que deve causar maior lentidão nas estradas. A CCR afirmou que vai avisar os usuários e motoristas com antecedência sobre os transtornos. Todas as obras devem ser concluídas até o final do primeiro semestre.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que a linha Curitiba/Campo Largo tem 15 ônibus na frota, entre ligeirinhos e convencionais. Saindo do terminal da cidade da RMC, são dois trajetos: parte da linha vai até o terminal Campina do Siqueira; outra parte até a estação-tubo da rua Vicente Machado esquina com Bento Viana. Como as obras na BR-277 causam atrasos, a partir da próxima segunda-feira (5), a Urbanização S/A (Urbs) vai colocar dois ônibus articulados à disposição dos usuários da linha, na saída do terminal Campina do Siqueira.