As regiões de Londrina e Maringá terão mais 51,8 quilômetros de rodovias duplicadas. As obras, orçadas em mais de R$ 257 milhões, incluem viadutos, passarelas, trincheiras e vias marginais e vão beneficiar diretamente mais de 1,2 milhão de pessoas. Moradores e comerciantes da região acreditam que com a duplicação haverá mais segurança e rapidez no transporte, retirando trânsito pesado de regiões mais urbanizadas.

“São investimentos feitos pelo Estado e também são obras das concessionárias que foram antecipadas, graça ao diálogo e a negociação do Governo com as empresas. Atendemos o grande crescimento da produção paranaense, melhorando a infraestrutura do Paraná”, disse o secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

O governo investe R$ 125 milhões nas duplicações da PR-445, entre Londrina e Cambé, e na duplicação entre Paiçandu e Maringá, na PR-323. Já as concessionárias executam obras de duplicação entre Jandaia do Sul e Apucarana, na BR-376, e também na construção do Contorno de Mandaguari, na mesma rodovia.

NORTE – Na PR-445, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) está investindo R$ 95 milhões, para duplicar 17 quilômetros de rodovia e mais a construção de passarelas, viadutos e trincheiras. Atualmente, as equipes trabalham na drenagem da rodovia e na terraplenagem. Começaram as obras de fundação do viaduto da Avenida Dez de Dezembro, que vai melhorar o tráfego de toda a região, facilitando a ligação bairro-centro.

No ano passado, ocorreram 135 acidentes, com 74 feridos e três mortes nesse trecho da PR-445, segundo dados da Polícia Rodoviária Estadual. O comerciante Devanir Caires disse que a obra oferecerá mais segurança a todos. “Essa é uma grande obra do Governo. Trará mais segurança, benefício, rapidez e infraestrutura para todas as pessoas que passam por este trecho. Vai diminuir o número de acidentes também”, afirmou Caires.

O caminhoneiro José Marcos de Jesus Gonçalves, usuário do trecho, diz que a duplicação vai melhorar a rodovia. “O trecho vai ficar muito mais rápido, e o viaduto também vai ajudar o fluxo de veículos”, afirmou Gonçalves.

Para o restaurador de automóveis antigos, que trabalha em frente à rodovia, Braz D’Aquino Júnior, o trânsito ficará mais tranquilo. “Essa duplicação vaioferecermais tranquilidade para travessia, além de diminuir o barulho. Vou chegar mais rápido a Londrina”.

A concessionária do trecho entre Jandaia do Sul e Apucarana, na BR-376, no Norte do Paraná, estão executando obras de duplicação em 11 quilômetros. Serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem e de arte especiais, alargamento do viaduto ferroviário (Cambira) e duas passagens em desnível, sendo no viaduto de acesso a Cambira e da trincheira de acesso ao distrito de Pirapó, estão sendo feitos em conjunto com o DER. As obras ficarão prontas em 2014.

NOROESTE – Outra duplicação grande que está agradando os moradores, é a da PR-323, que liga Paiçandu a Maringá. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) executa as obras para reduzir pontos de congestionamentos e diminuir acidentes. A Polícia Rodoviária Estadual, informou que, no ano passado, 83 acidentes ocorreram no trecho, com 93 feridos e quatro mortes.

O caminhoneiro João Paulo Dias, usuário do trecho, diz que ganhará mais tempo com a duplicação. “Faço sempre o trecho, levando soja de um lugar para o outro. Hoje eu levo, mais ou menos, uma hora para fazer o trecho. Com a duplicação, levarei uns 20 minutos”, informou Dias.

Para o motociclista Ivanir Policarbo da Rocha, a segurança da rodovia ficará maior com a duplicação. “Moro em Paiçandu e trabalho em Maringá. Como uso moto, consigo desviar do trânsito, o que é muito perigoso, mas depois que a obra ficar pronta, a segurança vai ficar bem maior. Será mais tranquilo”, disse Rocha.

A comerciante Fabiana de Fátima, moradora de Paiçandu, acredita que a obra do Governo do Estado trará muitos benefícios. “A duplicação está vindo em um ótimo momento, pois melhorará o fluxo e a segurança de todos. Além de gerar impacto positivo para as vendas da minha loja”, explicou Fátima.

As obras que envolvem esta duplicação, que totalizará oito quilômetros, estão dentro do prazo previsto. Duas marginais, dois viadutos, três trincheiras e duas passarelas serão construídos até o início do ano que vem. Hoje, as máquinas e trabalhadores do DER-PR estão implantando as marginais na rodovia, que funcionam para facilitar o tráfego local, e 30% da terraplenagem já está pronta. As obras das três trincheiras também já iniciaram.