O mau uso da rede coletora de esgoto pode gerar problemas aos próprios usuários do sistema público. Casos de retorno do esgoto dentro dos imóveis e extravasamento em vias públicas foram causados por materiais que não deveriam estar dentro da tubulação. Plásticos, panos, pedaços de madeira, entulhos de construção, óleo de cozinha, são alguns dos vilões que provocam problemas para o bom funcionamento do sistema e também para os próprios moradores.

“O sistema de esgotamento sanitário foi concebido para receber apenas o esgoto doméstico. Qualquer objeto diferente pode causar entupimento, formando uma espécie de tampão e impedindo a passagem normal do esgoto. Assim, os dejetos se acumulam, trancam o fluxo do esgoto e acabam ocasionando extravasamentos em pontos mais baixos da rede ou até mesmo o refluxo do esgoto para dentro dos imóveis e implicações no processo de tratamento”, explica o coordenador de Redes da Sanepar em Pato Branco, Rômulo Gasparini.

Um exemplo do mau uso da rede coletora aconteceu esta semana em Pato Branco, quando equipes de campo da Sanepar retiraram um tronco de dois metros de comprimento de dentro da rede de esgoto. O pedaço de madeira estava retendo materiais diversos, que depois foram parar no gradeamento da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). De acordo com Gasparini, já ocorreram problemas semelhantes no mesmo local, quando pedras foram retiradas de dentro da tubulação.

TRABALHO PREVENTIVO – Para retirar o lixo descartado indevidamente dentro das tubulações, a Sanepar realiza periodicamente a limpeza da rede com caminhões hidrojateadores – equipamento de acesso à rede, por onde são executadas as manutenções e limpezas. Quando o ponto vistoriado apresenta entupimento, os empregados retiram o material mais pesado e denso e, na sequência, injetam água com pressão para limpar e desobstruir o local. Contudo, devido ao grande acúmulo de material, nem sempre as equipes conseguem evitar refluxos e extravasamentos.

CUIDADOS – Para que não haja transtornos as instalações hidrossanitárias devem ser feitas adequadamente. A ligação da água da chuva deve ser conectada com a galeria de águas pluviais, mantida pela Prefeitura, e na qual estão as bocas de lobo. Já os objetos devem ser destinados para a reciclagem ou para o aterro sanitário.

Os tampões que existem nas redes coletoras servem para a manutenção e limpeza, e devem ser acessados apenas por empregados e prestadores de serviços da Sanepar. Não devem ser abertos, em hipótese alguma, pela população para evitar situações como a dessa semana, pois a abertura destes dispositivos oferece risco aos transeuntes.