A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou (15) o início de operação comercial da primeira unidade geradora da Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso II, entre Virmond e Candói, no centro-oeste do Paraná. A usina será inaugurada pelo governador Beto Richa em junho, quando as três unidades geradoras estiverem ativas.

As obras começaram em março de 2011, e os testes operacionais em 1.º de maio. As outras duas unidades geradoras têm previsão de entrada em operação comercial até início de junho. A capacidade total instalada da PCH é de 19 megawatts, o suficiente para atender ao consumo de uma cidade com aproximadamente 50 mil habitantes.

O início de operação de Cavernoso II marca a retomada pela Copel da construção de pequenas centrais hidrelétricas. “Trata-se de uma estratégia bastante eficaz para propiciar novas oportunidades de crescimento social e econômico às diferentes regiões do Estado, ao mesmo tempo em que diversificamos a matriz energética”, diz o presidente da Copel, Lindolfo Zimmer.

INVESTIMENTO – A PCH Cavernoso II foi construída com investimento de R$ 120 milhões. Sua concessão foi arrematada no leilão de fontes renováveis de energia, realizado em agosto de 2010, quando a Companhia negociou a eletricidade a ser produzida em contratos de longo prazo, com 30 anos de duração.

A nova usina está a poucos metros da Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso I, construída na década de 50 e que opera com 1,3 megawatt de potência. A barragem da Cavernoso II tem 520 metros de comprimento e 18 metros de altura e foi construída com enrocamento e núcleo de argila. O projeto contempla ainda um canal de adução com 580 metros de extensão, seguido de tomada de água e túnel com 250 metros de extensão e seis metros de diâmetro. O retorno das águas ao leito do rio é feito por um canal de fuga escavado em rocha, a cerca de dois mil metros da nova barragem. O reservatório tem 43,7 hectares ou 437 mil metros quadrados e foi formado em outubro de 2012.