Ouça o áudio

Depois de passar duas horas na fila aguardando a distribuição de senha, servidores da Unidade de Saúde Umbará informaram a 25 pessoas que nesta sexta-feira (22) não haveria consulta médica. A informação foi repassada à Banda B ao vivo durante o programa Luiz Carlos Martins. A Prefeitura de Curitiba confirmou a ausência de médicos e disse que as consultas foram remarcadas.

A idosa Rosa Leonarziki, de 70 anos, chegou em frente à Unidade, que fica na rua Deputado Pinheiro Júnior, por volta das 5h45, e conseguiu uma senha para uma consulta médica às 7 horas quando os portões se abrem. No entanto, alguns minutos depois, os mesmos servidores que distribuíram as senhas informaram que hoje não haveria médicos para atendê-los. Cerca de 25 pessoas – assim como a dona Rosa – ficaram sem consultas.

Durante o programa ao vivo, ela fez um desabafo. “Eu tenho problema na tireóide e de seis em seis meses eu tenho que fazer e levar os exames. Apareceu recentemente diabete. A gente fica chateada porque se vamos é porque estamos precisando”, diz dona Rosa.

O radialista e deputado Luiz Carlos Martins caracterizou esta situação como um descaso a população. “É um absurdo. A senhora tem 70 anos de idade, acordou cinco horas da manhã e não foi atendida. Pior, você não é a única dona Rosa. Isso dói”, declara o radialista.

Portões fechados

Outra questão levantada pelo apresentador e deputado Luiz Carlos Martins, foi com relação as filas que se formam na unidades de saúde durante a madrugada. “O povo vai para as filas 5 horas da manhã, às vezes debaixo de chuva, e fica do lado de fora das unidades de saúde, esperando no relento, porque os portões só abrem as 7 horas. Isso precisa mudar. O povo precisa ser acolhido”, disse Martins

Resposta

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba e, por meio da assessoria, informou que a Unidade de Saúde do Umbará possui três médicos: um está afastado por problemas de saúde; outro faz residência médica todas as sextas-feiras e a última não foi trabalhar porque alegou problemas de saúde.

Ainda, segundo a Prefeitura, nenhuma pessoa que estava na fila ficou sem atendimento porque equipes da enfermagem fizeram triagem e avaliação nos pacientes. Nenhum deles, segundo a assessoria, precisou de encaminhamento urgente para outra Unidade. Também, quem estava na fila já teve a consulta reagendada e não precisará enfrentar novo procedimento de senha.