Por Marina Sequinel e Paulo Sérgio Debski

(Foto: Gabriel Rosa/SMCS)

O presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), José Andregueto, afirmou que o reajuste da passagem de ônibus é uma forma de evitar greves por parte dos motoristas e cobradores. Por outro lado, o Setransp, sindicato que representa as empresas, informou que o aumento para R$ 4,25 não altera a remuneração das corporações, que continuam a receber R$ 3,66 por usuário – a data-base para o reajuste da tarifa técnica é 26 de fevereiro.

“Nós realizamos um estudo técnico para chegar até esse valor, sem demagogia. Não podemos colocar em risco o equilíbrio financeiro do sistema. Por isso, o aumento busca evitar paradas por indicativo de greve, investir em novas linhas e possibilitar a reposição de veículos já vencidos, sem condições de uso”, disse o presidente em entrevista à Banda B na tarde desta sexta-feira (3).

De acordo com ele, a mudança anunciada antes da data-base dos motoristas e cobradores não deve trazer prejuízos. “A negociação é diretamente entre os funcionários e as empresas para quem eles prestam o serviço, não com a Urbs. Atualmente, nós estamos em uma parceria com o governador e o prefeito para buscar a reintegração do transporte, inclusive da bilhetagem, para que se possa pagar a tarifa com apenas um cartão”, completou.

Andregueto disse que ainda não há nenhum tratativo com Beto Richa (PSDB) sobre um subsídio do governo do estado, que poderia diminuir o valor do reajuste. “É claro que gera impacto no bolso dos passageiros, mas, ao mesmo tempo, o produto tem custo. O sistema não pode ser sucateado”.

Tarifa domingueira cancelada

Segundo o presidente da Urbs, a justificativa para acabar com a tarifa domingueira, que antes custava R$ 2,50 e a partir de segunda (6) passa a ter o mesmo valor do dia útil, é a queda no número de usuários. “Nós estávamos com menos pessoas andando de ônibus no domingo do que quando essa passagem foi implantada, em 2005. Além disso, o valor de R$ 3,70 durante a semana estava trazendo muitos transtornos, nós queremos mudar isso”, finalizou.