Da Redação

A Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), responsável por gerenciar o transporte público de Curitiba, se manifestou por meio de nota, na manhã desta terça-feira (16), a respeito da ‘tortada’ na cara contra Luiz Fila, gestor da área de transporte coletivo da empresa, durante a sessão da CPI da URBS, que investia o preço das passagens de ônibus na capital. A ação aconteceu na tarde desta segunda-feira (15) e suspendeu a sessão que acontecia na Câmara Municipal de Curitiba.

A responsável pela ‘tortada’ é uma jovem de aproximadamente 20 anos que foi detida pelos seguranças da Casa e em seguida encaminhada à delegacia. Em nota, a URBS repudiou a atitude da manifestante, que depois do ato mostrou uma camisa do Movimento Passe Livre e gritou palavras de ordem.

“A Urbs repudia de forma veemente a agressão física e moral à qual seu funcionário foi submetido – no exercício de seu trabalho, prestando esclarecimentos de interesse público – dentro do plenário da Câmara Municipal de Curitiba. Um profissional de reconhecida competência nacional e que há várias décadas se dedica ao transporte coletivo. Nesse dia, na Casa do Povo, um cidadão, várias instituições, e a democracia foram gravemente agredidos, o que merece repúdio de toda a sociedade. Especialmente no tocante ao transporte coletivo este esforço do poder executivo municipal já se traduziu em várias iniciativas como audiência pública sobre reajuste tarifário, comissão aberta para análise da tarifa, já concluída, auditoria com participação da sociedade, além do irrestrito apoio à CPI do transporte público e à auditoria do TCE Paraná”, diz a nota.

Notícias Relacionadas

Sessão de CPI é suspensa depois de gestor da URBS levar torta na cara