Redação com informação da A Rede

felipe-passos

Jovem ficou paraplégico ao ser atingido por disparos de arma de fogo. Foto: Reprodução

Três pessoas acusadas de deixar um jovem paraplégico na cidade de Ponta Grosa, nos Campos Gerais, foram presas na tarde desta terça-feira (12). Um deles estava em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, outro em Telêmaco Borba e o terceiro na cidade do crime. Felipe Passos foi baleado no pescoço dentro de casa, no dia 13 de janeiro. Ele guardava dinheiro de um grupo de adolescentes que viajaria para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). A garota que planejou o assalto fazia parte do grupo, sabia onde o dinheiro estava guardado e namorava com um dos suspeitos do crime. As informações são do Portal A Rede.

As investigações começaram logo após o crime e o caso ficou conhecido nacionalmente. O grupo se preparava para ir a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que foi realizada no ano passado no Rio de Janeiro. A garota – já identificada – fazia parte do grupo e sabia que o dinheiro que estava sendo arrecadado estava na casa da vítima. Três suspeitos invadiram a casa de Felipe para procurar o dinheiro. Um deles era namorado da garota que indicou o crime.

Dentro de casa, o jovem reagiu, foi baleado no pescoço e ficou paraplégico após o crime. Na época, ele era estudante de automação industrial na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Segundo o delegado da Polícia Civil, Josimar Antonio da Silva, todos confessaram o envolvimento no crime. “Eles detalharam em um primeiro depoimento todo o crime, desde sua articulação até a execução. Se necessário faremos uma acareação entre todos os envolvidos.” afirmou o delegado. A adolescente não está presa e vai responder pelo crime junto à Vara de Infância e Juventude.