Da Redação com assessoria

Levantamento realizado pelo Sindicato Nacional de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco) e divulgado nesta quarta-feira (21) mostra que o trânsito e o transporte público são os maiores problemas de infraestrutura de Curitiba. De acordo com 85% dos entrevistados, os problemas relacionados a mobilidade urbana são os que causam maior impacto na vida da população Curitibana.

E não é para menos. O crescimento populacional de Curitiba e de sua região metropolitana – constituída por 29 municípios e cerca de 3,2 milhões de habitantes -, com a instalação de grandes indústrias nacionais e multinacioFinanciamento do transportenais nas duas últimas décadas e a consequente atração de novos moradores para essas cidades, não deixou de trazer sequelas. Entre elas, está o problema crescente de congestionamentos no trânsito, especialmente nos horários de pico, e a tendência a saturar a capacidade atual do transporte coletivo nesses horários.

Para o presidente do Sinaenco PR, Carlos Valério, os números não representam uma surpresa, mas revelam que as autoridades públicas devem buscar soluções para que no médio prazo a cidade não entre em um colapso. “É urgente tirar do estágio de promessa e passar para o desenvolvimento do projeto e posterior execução o metrô de Curitiba, que deverá interligar, em seus 22 km de extensão, as regiões mais populosas da cidade.

O investimento no metrô, embora mais caro que a implantação de BRTs e VLTs e adiado há quase duas décadas, é necessário por sua capacidade de transporte de massa a velocidades superiores à dos corredores de ônibus, se quisermos manter e melhorar, no futuro, as condições de mobilidade urbana adequadas à nossa metrópole.”, destaca Valério.

Para o presidente do Sinaenco PR, também é preciso um olhar isento e com objetividade técnico-urbanística na análise dos pontos da cidade nos quais a construção de pontes e viadutos – soluções vistas com reservas por diversos urbanistas e planejadores curitibanos – representaria desafogo para pontos de saturação do trânsito, como os da antiga BR 116. É imprescindível o estudo e o desenvolvimento de projetos para a ampliação e construção de novo anel viário de contorno da cidade, pois o atual já dá mostras claras de saturação, visando a tirar o transporte de cargas do perímetro urbano.” ressalta o engenheiro.

O levantamento é parte do evento “De olho no futuro: Como estará Curitiba daqui a 25 anos?”, realizado pela entidade. Para ajudar a população, autoridades e técnicos a promover reflexões sobre esses temas importantes, o Sinaenco (Sindicato da Arquitetura e da Engenharia) realiza neste dia 22 de agosto o seminário “De Olho no Futuro: Como estará Curitiba daqui 25 anos?”, no hotel Pestana, em Curitiba. Este evento é o terceiro do ciclo de seminários que será realizado em comemoração aos 25 anos do sindicato.

O encontro conta com palestrantes com ampla experiência em planejamento urbano e infraestrutura que vão enriquecer as discussões em torno da mobilidade urbana, desenvolvimento imobiliário e habitação de Curitiba nos últimos e próximos vinte e cinco anos. Para ter acesso ao programa do evento, realizar as inscrições, que são gratuitas, e contribuir com propostas basta acessar o hotsite da campanha www.olhonofuturo.org.br. Esta é uma das formas de buscarmos melhor qualidade de vida para as atuais e futuras gerações de curitibanos e paranaenses. Pensar antes, para fazer melhor, ou seja, a síntese do planejamento.” ressalta Valério