Por Felipe Ribeiro e Geovane Barreiro

Insatisfeitos com o rumo das negociações, trabalhadores da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) residentes em Curitiba aprovaram na noite desta quinta-feira (21) indicativo de greve e podem paralisar as atividades nos próximos dias. Caso os trabalhadores entrem em greve, todos os serviços relacionados à habitação e ao programa Minha Casa Minha Vida serão prejudicados durante a paralisação.

16.02 - Jesuítas - vistoria de obrs

Foto: Divulgação

De acordo com o coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas, e em Empresas Prestadoras de Serviços do Estado do Paraná (Sindaspp), Ivo Petry Sobrinho, a categoria negocia a renovação do acordo coletivo de trabalho, negociando alguns benefícios que não sofrem reajuste há três anos. “Ainda esperamos que a negociação avance, uma vez que estamos negociando nossos benefícios pela inflação dos últimos três anos, repondo assim as perdas salariais”, disse.

Segundo o coordenador, outras assembleias ainda devem ser realizadas no interior do estado, mas pelo andamento da negociação é provável que também aprovem o indicativo. “A partir de segunda-feira as assembleias tomas o interior. São aproximadamente 500 trabalhadores que cruzariam os braços com a greve”, concluiu.

A Banda B entrou em contato com a assessoria da Cohapar, que informou que cumpriu a convenção coletiva do SINDASP/SESCAP, sindicatos ao qual é vinculada. Reajustou os salários segundo o índice dos referidos sindicatos e manteve todos os benefícios já existentes, como plano de saúde, auxílio graduação, auxílio creche, auxílio alimentação. Informa, também, que corrigiu o vale alimentação pelos índices do IPCA, cujo valor é superior ao definido na convenção coletiva.