Por Denise Mello*

O atendimento à saúde da população em Curitiba nos hospitais privados e filantrópicos voltará 100% ao normal nesta sexta-feira (6) pela manhã. Uma proposta de conciliação do Tribunal regional do Trabalho (TRT-PR) foi aceita por trabalhadores e empresários e pôs fim à greve iniciada na terça-feira (4).

O acordo foi obtido em audiência conduzida pela desembargadora Ana Carolina Zaina, vice-presidente do Tribunal. A greve prejudicou o atendimento em pelo menos cinco das 12 instituições com trabalhadores vinculados ao Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba e Região (Sindesc). Cerca de 150 cirurgias foram canceladas nos dois de paralisação de enfermeiros, técnicos e funcionários da copa e da limpeza dos hospitais. O mais prejudicado foi o Hospital Cajuru, em que 50% dos trabalhadores aderiram ao movimento.

Na audiência ficou acertado que o reajuste salarial será de 10% no piso. Os demais salários terão reajuste de 8%, sendo 6,8% retroativos a 1º de maio e 1,2% a partir de janeiro de 2015.

O auxílio-alimentação foi elevado para R$ 300,00. A base de cálculo do adicional de insalubridade será de R$ 750,00, retroativos a 1º de maio, passando para R$ 850,00 em janeiro de 2015.
Os dias parados não serão descontados dos salários, mas haverá compensação de 1,5 hora por mês, por trabalhador, até a próxima data-base. A garantia de emprego é de 30 dias.

* com informações do TRT-PR