Da AEN-PR

O tempo continuará instável nos próximos sete dias, em todas as regiões do Paraná. O dia mais chuvoso será domingo (8). Na região de Curitiba há previsão de trovoada e precipitação de 40 milímetros, mas, inicialmente, sem risco de tempestades com enchentes e alagamentos, segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar).

A previsão é que a chuva diminua no início da próxima semana, voltando com mais intensidade na quarta-feira, quando uma nova frente fria se aproximará do Paraná, principalmente, da região Sul. O meteorologista Tarcísio Valentim da Costa diz que esse período de instabilidade é decorrente de um fluxo de umidade, vindo da região Norte do Brasil. “Um corredor de umidade vindo da Amazônia mantém as chuvas e o clima instável no Paraná por no mínimo uma semana”, disse.

TEMPERATURA – Em função do tempo instável e de pouco Sol na maioria das regiões do Estado, as temperaturas seguem amenas, principalmente nas faixas Sul, Leste e Litoral.

O meteorologista Tarcício atribui a chuva constante dos últimos dias ao fenômeno El Niño, que consiste em um aquecimento maior do Oceano Pacífico. Essa mudança de temperatura altera a circulação geral da atmosfera gerando chuvas mais intensas no Sul e Sudeste e tempo mais seco no Norte e Nordeste.

“A previsão é que o El Niño esse ano seja um dos mais intensos das últimas década. Com isso, teremos chuvas mais constantes no mês de novembro, assim como ocorreu em outubro”, disse.

OUTUBRO HISTÓRICO – Só em Curitiba, região Leste do Estado, choveu cerca de 248 milímetros em outubro, o que representa quase o dobro da média mensal de chuva que é da ordem de 133 milímetros. Com isso, o mês de outubro desse ano foi o mais chuvoso da capital desde 1997, data que o Simepar instalou a estação meteorológica e começou a fazer o levantamento. Antes de 2016, o recorde de chuvas tinha sido em 2011 quando choveu 197 milímetros na cidade.