Redação com SMCS

Foto: SMCS

A prefeitura de Curitiba acabou com a taxa de bagagem dos táxis e também com a cobrança pelo trecho de deslocamento do veículo até o embarque do passageiro. Estas e outras propostas de melhorias no serviço de táxis da cidade constam no decreto municipal nº 947/2017, assinado nesta quarta-feira (17/5), pelo prefeito Rafael Greca.

Desde o início de fevereiro a Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), responsável pela regulamentação e fiscalização dos táxis da cidade, estuda reivindicações apresentadas pelo Sindicato dos Taxistas de Curitiba, Associação das Centrais de Radiotáxi de Curitiba, Conselho Regional dos Taxistas e União dos Taxistas.

“São medidas ao nosso alcance para dar mais competitividade e qualidade a um serviço que é oficial da cidade, ajudando a fazer frente aos meios alternativos de transporte privado que surgiram nesses últimos anos”, destacou Greca.

A partir de agora, os táxis de Curitiba não poderão mais cobrar o excedente de bagagem. O valor atual dessa tarifa era de R$ 2,70 por passageiro que levasse mais de uma bagagem no táxi. A decisão de cobrar ou não era do taxista, mas para garantir que não haja mais essa possibilidade, a Urbs decretou o fim da taxa.

Taxímetro desligado

Pelo novo decreto, as corridas solicitadas por telefone ou aplicativo só iniciarão com o valor da bandeirada no momento do embarque do passageiro. Até então, os táxis podiam ligar o taxímetro, que registra e calcula o valor da corrida, desde o ponto de origem do motorista até o local de partida passageiro.

Outra medida acatada pela Urbs e que faz parte do decreto é o parcelamento da taxa anual da outorga paga ao município para exercer a atividade de táxi. Os taxistas poderão também parcelar o pagamento em quatro vezes no trimestre.

Itens como liberação de taxa de publicidade institucional para as centrais de táxis e autônomos, aumento do período de uso de publicidade e a implantação da padronização da vestimenta com traje social são solicitações que a Urbs atendeu no novo decreto.