Divulgação
Foto registrada no TRE em 2012

O suplente a vereador de Piraquara João Carlos Labes, ou Carlão da Favela, foi preso no início da tarde desta quinta-feira (16) por manter dois lixões clandestinos em funcionamento na região metropolitana de Curitiba. O primeiro, que foi invadido por policiais da Delegacia do Meio Ambiente no início da manhã de hoje funcionava na área de mananciais de água, no Jardim Guarituba, enquanto o outro ficava no Jardim Holandês, ambos em Piraquara.

De acordo com o superintende Ivan, enquanto a polícia realizava a ação no lixão próximo das mananciais, o suplente estava no outro lixão e acabou preso algumas horas após a operação.

De acordo com o delegado Wallace de Oliveira Brito, responsável pela operação, Carlão da Favela negociava com as empresas de construção o depósito dos resíduos das caçambas. Ele negociava com empresas de construção o despejo dos resíduos no lixão. Enquanto o custo para descartar resíduos da construção civil em um local autorizado fica em torno dos R$ 300, no lixão clandestino o custo girava entre R$ 30 e R$ 40, apontam as investigações. O local é de mata fechada e, para abrir o espaço do lixão, inúmeras árvores foram derrubadas.

O proprietário dos terrenos, que não tiveram o nome revelado pela polícia, devem ser intimados a prestar depoimento, assim como os responsáveis pelas empresas que utilizavam a área para despejo de resíduos. Todos devem responder por crime ambiental, agravado pelo descarte de lixo em área de manancial.