Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento

Motoristas e cobradores de ônibus da Viação Mercês demoraram um pouco mais para sair às ruas durante a manhã desta terça-feira (1°). O motivo foi uma assembleia urgente devido à demissão, na tarde de ontem, de 44 funcionários da empresa. Segundo o Sindicato de Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba (Sindimoc), não houve aviso prévio e os trabalhadores foram pegos de surpresa. Por sua vez, a empresa nega as acusações e diz que 22 funcionários foram demitidos e não 44.

“A empresa demitiu de uma forma arbitraria 44 funcionários e mentiu para eles que era de consentimento do sindicato. Eles alegam que o motivo para isto é que a estação tubo que operavam foi para outra empresa, mas então porque o outro grupo não absorveu os trabalhadores, como é o padrão?”, questionou Dino César, vice-presidente do Sindimoc.

Já Mariano Jucke, controlador de tráfego da empresa, afirmou que a situação é diferente. “Eles estão cumprindo aviso e nós os encaminhamos para outras empresas que estão precisando de funcionários. Nós perdemos o repasse para operar algumas estações tubos e portanto tivemos que realizar estas demissões”, informou.

Na manhã de hoje, durante a assembleia, foram definidas medidas a serem tomadas para resolver o imbróglio. “Vamos iniciar uma rodada de negociação para conseguir reverter este quadro. Em seguida, caso não se tenha uma solução, medidas mais drásticas podem ser tomadas”, concluiu o sindicalista.