Por Felipe Ribeiro

Contra o ajusta fiscal proposto pelo prefeito Rafael Greca, os servidores municipais de Curitiba podem entrar em greve na noite desta sexta-feira (31). Pela manhã, a categoria já realizou uma série de paralisações de até 50 minutos em vários serviços da Prefeitura, como CMEIs e UPAs. De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sismuc), a assembleia está marcada para 19 horas, em frente à Câmara Municipal de Curitiba.

Foto: Divulgação Sismuc

De acordo com Jonathan Ramos, da direção do Sismuc, além da discussão sobre o indicativo de greve, os servidores devem discutir na assembleia próximos atos e mobilizações. “Há toda a possibilidade da decisão pela greve. Ontem os servidores do magistério, que já estão em estado de greve, se reuniram. Na semana que vem são os guardas que podem definir. Enquanto esses projetos permanecerem na Câmara sem discussão com a população, permanecem os estados de greve”, disse.

O projeto de ajuste encaminhado para a Câmara quer reformular vários planos para manter o equilíbrio das contas da administração, segundo o prefeito Rafael Greca. Estão previstas mudanças na lei de Responsabilidade Fiscal, na Meta Fiscal, no ITBI, no cartão transporte, entre outros.

Pela manhã, os manifestantes iniciaram as atividades mais tarde. O principal atraso aconteceu nos Centros Municipais de Ensino Infantil (CMEIs), onde as aulas iniciaram apenas por volta das 8 horas. O horário normal de abertura é às 7 horas e pais tiveram que espera do lado de fora.

Professores

Na assembleia dos professores municipais, estado de greve continua. Um abaixo-assinado para pressionar os vereadores e barrar a aprovação foi uma das decisões. A categoria não descarta uma paralisação geral em conjunto com as demais categorias.