Por Felipe Ribeiro e Felipe Dutra

Fotos: Felipe Dutra

Os servidores técnico-administrativos do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) retomaram a greve que havia sido suspensa pela judicial nesta sexta-feira (9) e protestaram em frente à Arena da Baixada durante a visita da presidente Dilma Rousseff faz uma visita.

A greve dos servidores havia sido suspenda no dia 25 de abril por uma determinação judicial. A decisão de retomar a paralisação foi decidida em assembleia realizada no Restaurante Universitário da instituição durante a última terça-feira.

De acordo com uma das diretoras do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba (Sinditest), Carla Cobalchini, o protesto se dá devido a longa greve dos servidores técnico administrativos das universidades federais, na qual eles não foram recebidos nenhuma vez pela presidente. “Queremos a valorização do servidor, não é possível que o maior hospital do Paraná esteja com 200 leitos fechados por falta de profissionais. A Copa do Mundo não beneficia a população, ela só está trazendo efeitos negativos como o despejo de centenas de famílias”, afirmou.

Durante a semana, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) decidiu que não haverá desconto dos dias parados dos servidores públicos do HC que entraram em greve, anulando assim uma liminar de abril, que havia considerado a greve ilegal e que deveria haver desconto na folha salarial dos grevistas.

Notícias Relacionadas:

Dilma lança edital de licitação do metrô de Curitiba; primeira fase terá mais uma estação

Dilma visita Arena na tarde desta sexta-feira; quadras do Água Verde serão bloqueadas

Servidores do Hospital de Clínicas decidem retomar greve na sexta-feira