Por Luiz Henrique de Oliveira

O semáforo instalado na Rua Ângelo Burbelo com a BR-116, entre os bairros Campo de Santana e Umbará, em Curitiba, segue causando polêmica. Após começar a funcionar nos últimos dias, devido a protestos por parte da população, a medida provisória preocupa quem mora em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Em entrevista à Banda B, nesta quinta-feira (8), o prefeito da de FRG, Marcio Wosniak, afirmou que colocar o sinaleiro ali vai contra qualquer recomendação técnica e é uma temeridade.  A Prefeitura de Curitiba refuta essas afirmações.

semaforo

Semáforo foi instalado pela Prefeitura de Curitiba e causa polêmica (Foto: Divulgação SMCS)

“Foi feita uma reunião na Câmara Municipal de Fazenda Rio Grande com a Polícia Rodoviária Federal e a Auto Pista Planalto Sul, que administra o trecho, e tecnicamente não foi concordado com o semáforo, por ser uma área de risco. Isso aconteceu por pressão política e eu lavo minhas mãos, a responsabilidade se algo acontecer será da Prefeitura de Curitiba”, protestou Wosniak.

Para evitar que o semáforo continue funcionando, uma comitiva de Fazenda Rio Grande foi até Brasília alertar a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). “Ali é uma área de risco, em que os motoristas vem em alta velocidade e muitos não sabem da existência do semáforo, por ser uma rodovia frequentada por pessoas de outros estados. Além disso tem o caos que vai causar no trânsito. É necessária uma trincheira e os envolvidos precisam se focar nisso e não em um semáforo que só vai piorar”, protestou.

Com relação a essa indagação de Wosniak, a prefeitura garantiu que o semáforo foi autorizado pela ANTT.  “A Planalto Sul, concessionária desse trecho da BR-116, comprometeu-se a implantar sinalização na região para alertar os motoristas da necessidade de redução de velocidade no trecho, em função da existência do semáforo. A Polícia Rodoviária Federal deverá fiscalizar o fluxo do trânsito na região”, diz a nota.

Confira a íntegra da nota:

A instalação do semáforo tem o objetivo de minimizar os transtornos aos que vivem e passam pelo local .A rodovia está passando por obras de duplicação e o cruzamento havia sido fechado, não havendo opção para atravessar a via, pois o retorno mais próximo fica a 20 quilômetros de distância. A medida atende a uma reivindicação dos moradores do Campo de Santana apresentada em reunião à Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) e foi autorizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A Planalto Sul, concessionária desse trecho da BR-116, comprometeu-se a implantar sinalização na região para alertar os motoristas da necessidade de redução de velocidade no trecho, em função da existência do semáforo. A Polícia Rodoviária Federal deverá fiscalizar o fluxo do trânsito na região. O semáforo deverá ser mantido pelos próximos 60 dias, até que a concessionária da rodovia implante um retorno a três quilômetros do cruzamento.

O semáforo

Por semanas seguidas, moradores no bairro Umbará e Campo de Santana protestaram na BR-116 após o fechamento de um retorno na rodovia. A população precisava andar alguns quilômetros para conseguir acessar a pista contrária da BR-116. Um semáforo foi instalado e está funcionando, mas os moradores também sabem que isso é uma medida provisória e pedem com urgência a instalação de uma trincheira.

 Notícia Relacionada:

Protesto contra fechamento de retorno bloqueia ligação com o Sul pela BR-116 por duas horas