Os cerca de 200 trabalhadores que fazem o controle da dengue em Curitiba cruzaram os braços na manhã desta sexta-feira (08). Eles reclamam que o salário de janeiro, que deveria ser depositado no 5° dia útil do mês, não foi pago pela empresa Saneamento Ambiental Urbano (SAU), que presta serviços à Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Curitiba.

Bruno Henrique – Banda B
Agentes protestaram nesta sexta-feira (8)

Para protestar, os trabalhadores se reuniram em frente à sede da empresa, no bairro Cristo Rei, a espera do pagamento dos salários e benefícios atrasados já há dois dias. Esta é a segunda paralisação deste ano, a primeira foi em janeiro, por conta de salários e o 13° que estariam atrasados.

“Novamente a população ficará desassistida. Já aconteceu isto em janeiro, a Prefeitura disse que ia solucionar, mas continuou da mesma forma. Parece que nosso serviço não é importante, mesmo com a dengue sempre sendo uma ameaça”, informou Itamar Antunes, um dos líderes da manifestação.

Resposta Prefeitura

A Secretaria Municipal de Saúde foi impedida de efetuar o pagamento referente ao mês de janeiro à Saneamento Ambiental Urbano (SAU), contratada para fazer o controle de focos de dengue, em função de pendências trabalhistas da empresa. A fatura foi encaminhada à Secretaria Municipal de Finanças,que constatou a irregularidade.

A orientação dada à direção da SAU foi para que procurem a Justiça Trabalhista para dar entrada na regularização dos débitos, caso contrário qualquer órgão público fica impedido de fazer pagamentos à empresa. O Núcleo Jurídico da SMS e a Procuradoria Geral do Município estão analisando a situação.

Uma força-tarefa reuniu agentes de controle de vetores para continuarem o trabalho e evitar a desassistência da população, inclusive durante o feriado de Carnaval.

A gestão anterior da SMS deixou de pagar a SAU entre os meses de outubro e dezembro de 2012 e com isso ficou uma dívida de R$ 2,9 milhões que só poderá ser paga após a análise do Comitê de Transparência e Responsabilidade Financeira. Mesmo assim, é necessário que a SAU esteja com todas as certidões negativas em dia, caso contrário nem mesmo este pagamento poderá ser realizado.