Por Marina Sequinel

(Foto: Flávia Barros – Banda B)

O transporte coletivo da Grande Curitiba amanheceu parcialmente paralisado na manhã deste sábado (24). Segundo o Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), as empresas que ainda não pagaram de forma integral o vale salarial dos trabalhadores são a Tindiquera, a Araucária Matriz e Filial, a CCD e a São José Filial.

De acordo com o presidente do Sindimoc, Anderson Teixera, na empresa Tindiquera, todos os ônibus estão na garagem e ainda não há previsão para que o serviço volte a funcionar. As linhas atendidas por ela são: Jd. Tupy 1 e 2, Jd. Primavera, Fonte Nova, Santa Regina, Gralha Azul, Minas Gerais, São Francisco, Santa Clara, Circular Olímpico, Tietê Onças, Guajuvira, Santo Estanislau, Iporanga, Thomaz Coelho, Monalisa/Iguatemi, Sabiá e Tropical.

“Já a Araucária Matriz e a Filial voltaram a rodar 100%, com a promessa de que o dinheiro arrecadado hoje e amanhã seja usado exclusivamente para o pagamento dos vales dos trabalhadores”, disse Teixeira em entrevista ao radialista Geovane Barreiro durante o Jornal da Banda B 1ª edição.

A Matriz faz o trasporte urbano de Araucária e também o metropolitano de Contenda e Curitiba. A Filial atende 21 linhas, na região Leste e Sul da capital, além do transporte metropolitano de Araucária, Contenda e Campo Largo.

“Os funcionários da São José resolveram respeitar o prazo dado pela empresa, de que o pagamento deve acontecer até segunda-feira (26). A CCD está transferindo o dinheiro gradativamente, direto da arrecadação deste fim de semana”, afirmou o presidente do Sindimoc. “A nossa expectativa é que as demais empresas que ainda não resolveram o impasse usem da mesma medida para pagar os trabalhadores”, completou.

Em nota repassada ontem à imprensa, a prefeitura de Curitiba informou que a Urbs pretende quitar a dívida total para o pagamento dos motoristas e cobradores na terça-feira (27).

“A Urbs tem feito todos os esforços pra manter os repasses às empresas de transporte coletivo em dia. Nesta sexta, foram repassados R$ 843 mil. A dívida de R$ 3,8 milhões é referente aos dias 18, 19, 20 e 21, que deve ser regularizado até a próxima terça-feira, 27, conforme o fluxo de caixa com a venda de crédito de transporte. Diariamente, as empresas recebem 40% das passagens vendidas a dinheiro, a título de antecipação. A Urbs reforça que durante o ano já foram repassados mais de R$ 20 milhões referentes ao provisionamento do 13 dos trabalhadores, previstos na tarifa”, diz a nota.