Da Redação

Assembleia foi realizada na Praça Santos Andrade. (Foto: Divulgação/Sindicato dos Vigilantes)

Sem negociação prevista com a classe patronal, o Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Metropolitana (SindVigilantes) promete entrar em greve a partir da meia-noite desta terça- feira (7). Com a paralisação, as agências bancárias devem amanhecer fechadas, já que são proibidas por lei de abrirem sem pelo menos dois profissionais de segurança.

Os trabalhadores pedem 5% de aumento real no salário, além da reposição da inflação. A categoria também exige que o valor diário do vale alimentação passe de R$ 25,04 para R$ 30.

A proposta por parte dos patrões contempla o reajuste do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que segundo o sindicato elevaria o piso salarial de R$ 1561 para R$ 1654 e o vale-alimentação de R$ 25,04 para R$ 26,50. A categoria considerou a oferta “inaceitável”.

Ao todo, aproximadamente 10 mil vigilantes atuam em Curitiba e região. A assembleia realizada na última sexta-feira (3) contou com a participação de aproximadamente 300 trabalhadores.

A Banda B entrou em contato com o Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Paraná (Sindesp-PR), entidade patronal que representa as empresas de segurança privada, que informou que não irá se manifestar sobre a greve dos vigilantes de Curitiba.