O novo informe da situação da dengue divulgado nesta segunda-feira (1º) pela Secretaria Estadual da Saúde mostra que desde agosto de 2012 até agora foram confirmados 17.175 casos da doença no Estado. Destes, 16.086 foram registrados em 2013. Cerca de 80% dos casos estão concentrados nos 52 municípios que enfrentam situação de epidemia da doença neste ano.

Quanto à gravidade dos casos, 17.088 pacientes apresentaram a forma clássica da doença e 84 pacientes evoluíram para forma grave (40 pacientes tiveram febre hemorrágica de dengue e 47 tiveram dengue com complicação). Destes pacientes, 78 evoluíram para a cura e nove morreram.

A Secretaria da Saúde ainda investiga quatro mortes suspeitas. Mais informações serão divulgadas após investigação clínica e confirmação laboratorial.

AGENTES E MOBILIZAÇÃO – O superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, enfatiza que dos 52 municípios epidêmicos, 25% tinham altos índices de pendências (ou seja, não vistoriavam imóveis fechados); 35% tinham problemas com lixo acumulado; 46% apresentavam problemas com recursos humanos (contratação de agentes de endemias) e 69% não tinham comitê de mobilização da população.

“Este levantamento indica que os municípios não estavam preparados para enfrentar a dengue, apesar de todo o acompanhamento feito pelo Estado”, explica.

Segundo o novo informe, os municípios de Tapira, Lidianópolis, Capanema, Pérola, Francisco Alves e Porecatu atingiram o índice epidêmico nesta semana. O monitoramento realizado no final de 2012 pelas regionais da saúde apontou que todos os municípios que entraram em situação epidêmica têm problemas em questões como o número de agentes de endemias e dificuldades de mobilização da população.

Os municípios com maior número de casos notificados são Paranavaí (8.943), Campo Mourão (3.858) e Londrina (3.115). Os municípios com maior número de casos confirmados são Paranavaí (5.487), Peabiru (1.759) e Campo Mourão (905). O informe está disponível no site da Secretaria Estadual da Saúde.