A Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística começou o trabalho para que toda a documentação gerada pela secretaria e suas autarquias –responsáveis pelos portos, ferrovias, rodovias e pelas edificações – tornem-se processos eletrônicos, com assinaturas digitais. A meta é reduzir a quase zero o volume de papel, dando agilidade aos trâmites e mais transparência aos processos. Para isto, foi feita nesta segunda-feira (22), a primeira reunião de Gestão Documental, com todos os setores da Secretaria e autarquias.

A primeira etapa para implantação dos processos eletrônicos começará na Secretaria de Infraestrutura e no Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná. Futuramente serão estendidas à Ferroeste, à Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina e à Paraná Edificações.

A consultora em Gestão Documental e Memória, Eliana Almeida de Souza Rezende, disse que o primeiro trabalho é quantificar o volume de documentação gerada, com isto definir a quantidade de papel gasto com a impressão destes materiais, para depois partir para a digitalização e a criação de processos eletrônicos.

A consultora explicou que com a nova lei de acesso à informação é preciso garantir que dados estejam acessíveis para toda a população. Além da transparência, serão identificados gastos desnecessários com a impressão de documentos e também com a organização.

Também será envolvido no processo o setor de informática da Secretaria de Infraestrutura, que dará o suporte para execução dos trabalhos. Nesta fase de mapeamento da documentação, as equipes irão trabalhar até maio. Somente depois começam os processos de digitalização do material selecionada. Depois virá a implantação de processos eletrônicos.