Representantes regionais dos profissionais de educação formal da socioeducação foram recebidos nesta sexta-feira (1) na Secretaria de Estado da Educação para discutir avanços no Programa de Escolarização nas Unidades de Socioeducação do Paraná.

Temas mais imediatos para a volta às aulas também foram debatidos no encontro, que teve a presença de representantes da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social e da Associação dos Professores do Paraná – APP Sindicato.

“Vamos trabalhar as questões da Socioeducação com absoluta tranquilidade e muito respeito para que todos saiam ganhando, principalmente os alunos e a sociedade”, destacou o diretor-geral, Jorge Wekerlin.

Uma das reivindicações dos profissionais dos Centros de Socioeducação é ter uma participação maior nas ações gerais da Secretaria. Os profissionais querem participar da construção de uma proposta educacional mais específica para a escolarização dos adolescentes em conflito com a lei.

“Podemos construir um marco histórico para o Paraná e para o Brasil. É isso que almejamos”, afirmou Noêmia Farinha, representante do Censes São Francisco, em Piraquara.

No encontro, os socieducadores elogiaram medidas que já foram adotadas pela Secretaria da Educação e que beneficiam a categoria como a orientação para que o professor passe a fazer a hora/atividade na primeira ou na última aula do dia.

A transformação do Centro Educacional de Jovens e Adultos (Cebja) Doutor Mário Faraco em ponto de atendimento do Censes São Francisco também foi motivo de aplausos dos participantes da reunião. A iniciativa tomada pela Superintendência de Educação neste mês de janeiro atende a um antigo pedido dos profissionais.

Dos 18 Censes do Estado, o São Francisco era o único vinculado ao um Colégio e não a um Cebja. “Estou na socioeducação desde 1997, e posso garantir que nunca tivemos tanta acolhida e receptividade como agora estamos tendo”, disse Noêmia.

A superintendente da Educação, Eliane Rocha, marcou para março próximo um novo encontro com os representantes da socioeducação. “Todos os canais estarão abertos para debatermos avanços e construirmos uma agenda comum”, destacou Eliane.

Nos 18 Censes do Paraná trabalham cerca de 400 profissionais da Educação. No encontro participaram representantes das regiões de Londrina, Paranavaí, Cascavel, Pato Branco, e Curitiba e Região Metropolitana.