Por Elizangela Jubanki

sargento-matos

Sargento está em coma induzido na UTI. Foto: Reprodução/Facebook

Internado há três dias, o terceiro sargento Wellignton de Matos, lotado na Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), corre risco de ter a perna amputada, após ter sido baleado durante confronto em Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba. Matos segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico, em coma induzido. O estado é grave e o quadro de saúde é instável.

De acordo com o hospital, é alto o risco de o sargento passar por cirurgias e operações, de maneira imediata. Para que qualquer procedimento seja feito, Matos precisa apresentar melhora ou quadro estável. No entanto, uma fasciotomia foi feita na perna para aliviar a pressão. Esse é um procedimento de salvamento de membros.

Familiares, amigos de farda e outros colegas compartilham mensagens de apoio ao sargento pelas redes sociais.

Caso

sargento-bopeO policial foi ferido na perna por arma de grosso calibre durante um confronto no Jardim Itaú. Segundo informações apuradas com a polícia, o Bope estava em uma operação na região quando foi surpreendido por um grupo armado. O tiro que atingiu o policial foi à queima roupa e ele caiu na hora.

O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado e encaminhou Mattos ao pronto-socorro do Hospital Evangélico. Durante o atendimento ao policial, o suspeito foi perseguido e morto, na rua Edna Valente Curi. Identificado como Alan de Miranda, 20 anos, o jovem já tinha passagem pela polícia.

Notícias relacionadas:

Policial do Bope é levado em coma para hospital após confronto na RMC; suspeito de 20 anos foi morto