A Sanepar está investindo R$ 370,6 milhões em nova infraestrutura, reformas e ampliação da rede de água e esgoto em Curitiba e região. A capital paranaense é a melhor do país em qualidade de saneamento no ranking da ONG Instituto Trata Brasil. O índice de distribuição de água na cidade é de 100% e a cobertura da rede de coleta e tratamento de esgoto chega a 90,6%.

Nos últimos dois anos a Sanepar investiu R$ 159 milhões na capital. Neste ano, estão em andamento obras em todas as regiões da cidade, com um investimento de R$ 82,3 milhões. Em licitação, estão previstos mais R$ 72,2 milhões e outros R$ 57,1 milhões já estão projetados.

“São obras que melhoram a infraestrutura da cidade, criam empregos e, sobretudo, elevam a qualidade de vida dos curitibanos”, afirma o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone.

Entre as obras em execução destacam-se a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto Atuba Sul, serviços de melhorias na Estação de Tratamento de Esgoto Belém, reforma da Estação de Tratamento de Esgoto Padilha Sul, construção da elevatória Jardim Pantanal, impermeabilização do reservatório de água tratada Corte Branco, implantação do sistema de ar comprimido na Estação de Tratamento de Água Iguaçu e, ainda, a reabilitação do sistema elétrico do reservatório Portão, além da implantação e revitalização de cerca de 170 quilômetros de rede coletora de esgoto.

Em processo de licitação há 54 empreendimentos que prevêem, em trechos espalhados por toda a cidade, implantar mais 64,2 quilômetros de rede para coletar o esgoto domiciliar, reabilitar 41 quilômetros de rede coletora, implantar 2.721 ligações domiciliares, executar obras de melhorias nas estações de tratamento de água Iguaçu e Iraí, melhorias nas estações de tratamento de esgoto Padilha e Atuba, além de obras nos reservatórios de água tratada e em estações elevatórias.

A atenção dedicada aos curitibanos não para. Para os próximos anos já foram selecionados três projetos. Serão executadas, entre outras, obras de revitalização das redes já existentes nas bacias Barigui, Belém, Atuba, Passaúna, e sub-bacia Vila Izabel, num total de 47,3 mil metros. Serão implantados outros 142,2 mil metros de rede coletora nestas bacias e na Bacia Barigui Norte, em especial nos bairros Abranches e Taboão, além de 11 mil metros de coletores. Também será ampliada a Estação de Tratamento de Esgoto Belém. A previsão é duplicar o sistema existente e promover melhorias no processo de tratamento.