A Sanepar está presente no Encontro Regional do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social, que ocorre em Foz do Iguaçu, nesta terça-feira e vai até amanhã (dia 20). A Empresa divulga o Programa da Tarifa Social, importante instrumento de acesso à água tratada e à melhoria da qualidade de vida da população do Paraná.

O evento reúne cerca de 800 gestores, assistentes sociais e técnicos dos municípios do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul no Cine Teatro Barrageiro – Centro Tecnológico de Itaipu, em parceria do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS).

O presidente da Sanepar, Antonio Hallage, destaca o papel fundamental dos profissionais que participam deste encontro junto às pessoas carentes nas suas cidades de origem e que podem auxiliá-las a se cadastrar nos programas sociais dos governos. “O Governo do Paraná conta com programas especiais para beneficiar a população mais necessitada como, no caso da Sanepar, a Tarifa Social, que promove a universalização dos serviços de saneamento básico”, disse ele.

TARIFA SOCIAL – Cerca de 700 mil paranaenses são beneficiados pela Tarifa Social da Água, criada pela Sanepar em 1989. Com o benefício, que atende famílias com renda de até dois salários mínimos mensais, a conta de água tem valor fixo de R$ 5,80 para o consumo de até 10 mil litros de água por mês. O benefício para essas famílias representa cerca R$ 39 milhões anuais.

CRITÉRIOS PARA CADASTRO – Podem ser cadastrados os imóveis com área construída de até 70 m², para fins residenciais. O consumo mensal de água deverá ser de até 10 m³ ou até o limite de 2,5 m³/mês por pessoa residente no imóvel. A renda da família residente no imóvel deve ser de até meio salário mínimo por pessoa ou de até 2 salários mínimos (federal) para imóveis com até 4 ocupantes, vigente na data de solicitação do benefício.

DOCUMENTOS – Para requerer o benefício, o cliente deve ir pessoalmente em um escritório da Sanepar e apresentar ao atendente a conta mensal de serviços de água e esgoto da Sanepar; o IPTU atual do imóvel; o RG, CPF ou certidão de nascimento para menores de 18 anos dos moradores do imóvel; carteira de trabalho com o último contracheque ou extrato do INSS com o último salário, para aposentados.

Caso não possua comprovante de renda, o usuário deve estar cadastrado em outro benefício do Governo como vale-gás, bolsa-família ou bolsa-escola. O último extrato deve ser apresentado. O cadastro deve ser feito pessoalmente pois é necessário assinar alguns documentos.