Da AEN-PR

Casa decorada no Jardim Social. Foto: Michel Willian/Arquivo PMC As cidades já começam a ganhar as luzes e o colorido típico desta época do ano. É tempo de enfeitar casas e comércios, criando aquele clima mágico de Natal. Atenta a essa movimentação, a Copel orienta seus consumidores sobre os cuidados na compra, instalação e manuseio desses artefatos para evitar acidentes com choque elétrico e curto-circuito.

Um dos principais cuidados deve ser tomado no momento da compra dos enfeites. É importante verificar a procedência e a qualidade de equipamentos que utilizam energia elétrica, principalmente os cordões de luzes (pisca-piscas). Todos devem ser de boa procedência e estarem certificados pelo Inmetro.

Casa decorada no Jardim Social. Foto: Michel Willian/Arquivo PMC(Foto: Michel Willian/Arquivo PMC)

É importante garantir que os enfeites que utilizam eletricidade sejam compatíveis com a carga das instalações elétricas do imóvel. “Há alguns sinais que podem ser observados quando há sobrecarga das instalações. O primeiro é o aquecimento da fiação, tomadas, pinos e conexões e, o segundo, o cheiro característico de plástico queimando”, explica o gerente do Departamento de Segurança do Trabalho da Copel, Oneil Schlemmer.

Ao perceber qualquer um desses sinais, o consumidor deve desligar imediatamente os equipamentos das tomadas e chamar um profissional capacitado para fazer uma verificação detalhada nas instalações. A persistência do aquecimento compromete os equipamentos isolantes, o que pode provocar um curto-circuito e até mesmo o princípio de um incêndio.

Alguns cuidados podem ser tomados para evitar sobrecarga, como jamais utilizar uma tomada para ligar vários aparelhos com o uso de benjamins. O ideal é usar um plug por tomada. Outra escolha que ajuda diminuir riscos são os pisca-piscas que utilizam lâmpadas de LED. Elas consomem menos energia e, por isso, apresentam menos risco de sobrecarga.

Além disso, todas as emendas e conexões devem estar protegidas com fita isolante de boa qualidade. Se for preciso trocar lâmpadas, arrumar fios ou mudar os enfeites de lugar, a tomada sempre deve ser desligada antes. “Se a ideia é aproveitar os enfeites comprados em anos anteriores, o alerta é para que se verifique se há fios ressecados, descascados ou rompidos. Nesse caso, o ideal é descartá-los e adquirir novos”, acrescenta Oneil.

Somente após a conclusão da montagem é que se deve fazer a ligação dos enfeites na tomada para evitar acidentes por falhas no isolamento de fios ou nas emendas.

ÁREAS EXTERNAS – O máximo de cuidado deve ser tomado na ornamentação de áreas externas, pois além do risco de acidentes com choques elétricos há também o perigo de quedas. Nesse tipo de decoração, devem ser utilizados exclusivamente equipamentos fabricados para uso externo, mais resistentes ao sol.

Outro cuidado fundamental a ser observado é evitar a umidade. Equipamentos elétricos ou materiais energizados de qualquer espécie – incluindo os enfeites natalinos – jamais devem ser tocados quando a pessoa estiver com as mãos ou pés molhados. O melhor é deixar os fios abrigados, colocá-los dentro de tubo transparente blindado, como um cano de mangueira, para evitar a entrada de água.

A instalação de adornos e objetos decorativos nas proximidades da rede pública de energia elétrica é proibida pela legislação. O desrespeito a essa norma resulta numa enorme probabilidade de acidentes graves.

Por fim, o consumidor deve lembrar de desligar os equipamentos quando não estiverem em uso, evitando o desperdício de eletricidade. Em caso de qualquer dúvida, chame um profissional habilitado para planejar e executar a montagem da iluminação natalina.