Por Luiz Henrique de Oliveira e Juliano Cunha

ruadentro

Na rua estreita a calmaria reinou nesta segunda, mas só porque era feriado (Foto: Juliano Cunha – Banda B)

Antes usada para crianças brincarem e idosos tomarem banho de sol, a Rua Visconde Cairu, no bairro Seminário, em Curitiba, se tornou um temor para os moradores. Segundo eles, devido ao aumento do número de carros na capital, motoristas usam a rua estreita e sem calçada para fugir dos engarrafamentos nas Avenidas Iguaçu e Silva Jardim.

“Não há respeito por parte dos motoristas. Eles vem com velocidade altíssima e não temos mais sossego. A Prefeitura de Curitiba poderia colocar uma lombada ou aumentar a fiscalização, antes que aconteça até um acidente grave”, afirmou à Banda B, nesta segunda-feira (8), o motoboy Eduardo, que há décadas mora na rua.

mapa

Rua tem apenas duas quadras e é usada para desviar trânsito (Foto: Google Maps)

Outra reclamação é com relação aos fundos de um mercado, que está instalado na Av. Iguaçu.

“Os caminhões usam como ponto de carga e descarga e ninguém faz fiscalização. Eles estacionam no meio da rua e às vezes nem tem como manobrar para entrar em casa”, descreveu a moradora Márcia, que precisou aumentar a entrada da garagem para conseguir estacionar.

Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba para saber da possibilidade da instalação de lombadas e recebeu o seguinte retorno:

Os moradores precisam pedir um projeto para a regional responsável, que é Santa Felicidade. Pode ser via 156 ou nas audiências da Lei Orçamentária Anual. Assim, a regional pede um estudo pra Setran (Secretaria de Trânsito), que diz se há necessidade de instalar algum equipamento redutor de velocidade.