O governador Beto Richa entregou nesta sexta-feira (1.º), em Curitiba, 18 ambulâncias para municípios da Região Metropolitana de Curitiba. O Governo do Estado investiu R$ 1,7 milhão na compra do lote, que melhorará o atendimento da saúde na região. Até o fim deste ano, serão adquiridos 330 veículos, 60 deles para a renovação da frota do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma de Emergência (Siate).

“Buscamos o atendimento em saúde de qualidade, mais ágil e humano”, disse o governador. Richa afirmou que outras 55 ambulâncias serão encaminhadas para outras regiões nos próximos meses. Cascavel, na região Oeste, e Paranavaí, no Noroeste, receberão os veículos na próxima semana. Na sexta-feira da semana passada Richa repassou três unidades para Pato Branco. Em 2012, foram entregues 63 ambulâncias de remoção de pacientes para renovação da frota e substituição de veículos sinistrados.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, o governo realiza a maior renovação da frota de ambulâncias da história do Estado. Caputo Neto destacou que nos oito anos da gestão anterior, nenhuma ambulância foi adquirida para o Siate. “Temos um governo parceiro que financia a saúde dos municípios e um Paraná mais saudável”, disse.

O secretário ainda reafirmou que estão previstas outras ações para a Região Metropolitana de Curitiba, neste ano. Serão destinados mais de R$ 4 milhões em recursos do orçamento para a construção do Centro de Especialidades da Região Metropolitana, que dará a resposta imediata para a atenção secundária, consultas, exames e cirurgias eletivas. Também será destinado investimento para garantir o funcionamento do Centro de Álcool e Drogas, em Piraquara.

MUNICÍPIOS – O Governo do Estado investiu em cada ambulância R$ 95 mil. O veículo é composto por equipamentos para atendimento básico e maca. As 18 ambulâncias serão encaminhadas a Adrianópolis, Almirante Tamandaré, Agudos do Sul, Bocaiúva do Sul, Campo Magro, Colombo (Santa Casa), Curitiba (Hospital Pequeno Príncipe), Doutor Ulysses, Itaperuçu, Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Piên, Piraquara (Hospital San Julian), Rio Branco do Sul, Rio Negro, São José dos Pinhais Tijucas do Sul, Tunas do Paraná.

Para o prefeito de Adrianópolis, João Manoel Pampinini, elogiou a iniciativa do Governo do Estado, afirmando que para o seu município a ambulância é fundamental em razão da necessidade de transporte de pacientes para grandes centros. “Fazemos até 60 deslocamentos por dia e a nova ambulância dá agilidade e segurança neste serviço. Uma ambulância como esta estava fazendo falta”, disse ele.

Pampinini destacou o processo de desenvolvimento da cidade, que está atraindo novas indústrias e novos moradores. “A ambulância chega num momento importante em que o município está passando por uma transformação econômica”, disse o prefeito.

“Com as ambulâncias é possível integrar todo sistema de saúde dos 29 municípios da região e facilitar o atendimento”, disse o coordenador da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, Rui Hara.

Desde 2011, o Governo já repassou 293 veículos para estruturar os serviços de saúde nos municípios. Os veículos servem para transporte de técnicos, medicamentos e vacinas, ações de controle de endemias, como o combate à dengue; vigilância sanitária; controle de doenças e campanhas de vacinação, entre outras finalidades.

Segundo o prefeito de Fazenda Rio Grande e presidente do Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (Comesp), Francisco Santos, o repasse de ambulâncias pelo Governo do Estado supre a necessidade dos municípios da RMC, que em sua maioria são de pequeno porte e não possuem recursos orçamentários suficientes para investimentos. “Estamos junto ao governo buscando mecanismos de soluções para melhorar a área da saúde dos municípios”, afirmou.

O prefeito de São José dos Pinhais, Luiz Carlos Setim, afirmou que o governo se preocupa com a saúde dos cidadãos dos municípios. “As ambulâncias implementam os serviços e são necessárias para o atendimento direto das comunidades”, destacou.