O governador Beto Richa disse nesta terça-feira (16/04) que a Parceria Público-Privada (PPP) é um instrumento importante para ampliar as ações da administração pública e promover desenvolvimento socioeconômico de municípios, estados e países. Richa foi palestrante do “Estrela da Manhã”, evento organizado pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Seção Paraná (ADVB–PR), em Curitiba.

Beto Richa ressaltou que as PPPs são saudáveis principalmente se tratando de infraestrutura, “um setor carente de recursos no Brasil”, em razão da baixa capacidade de investimento do poder público. “Todos sabem que está exaurida a capacidade dos Estados. Mais do que nunca, é necessária a parceria com a iniciativa privada, de forma transparente, para promover o desenvolvimento socioeconômico”, disse o governador.

Richa disse que o governo estadual analisa propostas de PPPs para a realização de importantes obras rodoviárias. São três projetos de duplicação e melhorias em estradas: PR-323, na região Noroeste, com cerca de 250 quilômetros; PR-445, entre Londrina e Mauá da Serra, numa extensão de 80 quilômetros; PR-092, entre Jaguariaíva e Santo Antonio da Platina.

O governador também citou outros projetos de modernização da infraestrutura que estão acontecendo graças ao entendimento entre Estado e iniciativa privada. Entre os exemplos estão obras nas rodovias concessionadas, com destaque para a duplicação da BR-376, entre Ponta Grossa e Apucarana, no valor de R$ 1,2 bilhão, e os R$ 5,5 bilhões em investimentos programados nos portos do Paraná. “Demandas históricas atendidas graças ao diálogo, ponto forte do nosso governo”, declarou.

Beto Richa afirmou que um administrador público deve governar com o olhar voltado para o futuro, e não apenas na resolução de problemas pontuais. Como exemplo, apontou o plano de zoneamento dos portos paranaenses que foi realizado em 2012 e vai orientar investimentos na área portuária pelos próximos 25 anos.

Outra medida detalhada no encontro da ADVB foi o ProInfra, programa de R$ 12,5 bilhões que reúne projetos de modernização da infraestrutura em diversos setores, com investimentos em estradas, energia, saneamento, habitação e obras urbanas e rurais. “Estamos cuidando de todos os setores e preparando o Paraná para agora e para o futuro”, disse Richa.

INDUSTRIALIZAÇÃO– No encontro, Richa classificou o Programa Paraná Competitivo como “um plano ousado para a retomada da industrialização do Estado”. Ele sintetizou os resultados da iniciativa, informando que em apenas dois anos mais de R$ 20 bilhões em investimentos produtivos foram atraídos ao Estado, gerando aproximadamente 120 mil empregos.

Richa disse que, além do aspecto econômico, um dos objetivos do programa é reduzir as desigualdades e criar novas oportunidades em cidades e regiões com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Como exemplo deste processo, ressaltou o investimento de R$ 6,8 bilhões da Klabin, em Ortigueira. A nova planta da empresa de papel e celulose beneficiará 12 municípios dos Campos Gerais e da região Central do Estado.

Ele lembrou que, de acordo com o Ministério do Trabalho, o Paraná foi responsável por 15,6% dos empregos líquidos da indústria de transformação gerados no país, ficando em terceiro lugar no ranking nacional na abertura de vagas no setor. “Não somos uma ilha no país, mas nossos indicadores de crescimento são mais expressivos que a média nacional”, disse.

“Percebemos que o governo tem feito uma ótima gestão pública, com números notáveis. Por isso, convidamos o governador para que explicasse este Case de sucesso que é o Programa Paraná Competitivo. O poder público deve aprender com a iniciativa privada e a iniciativa privada deve aprender com o poder público”, declarou Ronie Pires, presidente da ADVB-PR.

AÇÕES– Richa ressaltou que o desenvolvimento socioeconômico só é completo com a atenção do Estado em todas as áreas. Por isso, disse, o governo tem investido fortemente em educação básica. Ele ressaltou o reajuste de 35% concedido ao magistério, as 1.800 obras em escolas, contratação de 17 mil servidores, ampliação de recursos para transporte e merenda escolar.

No ensino superior, Richa afirmou que o Estado investe aproximadamente R$ 1,4 bilhão por ano na manutenção de sete universidades estaduais e promoveu a valorização dos servidores das instituições. Ele disse que o fortalecimento do ensino superior mantido pelo Estado ganha reforço com a criação da Lei de Inovação, que amplia a cooperação entre os setores público e privado.

Richa também detalhou as ações na área de Segurança Pública, que estão permitindo ao Estado ampliar as operações de combate à criminalidade. Neste setor, Richa exemplificou a ação do governo com a maior contratação de policiais da história do Paraná, com a incorporação de 3.127 policiais aos efetivos da Polícia Militar e Polícia Civil, a compra de cerca de3 1.500 novas viaturas, instalação do Batalhão de Fronteira, construção de novos presídios e delegacias.

Na saúde, Richa destacou a contratação de 1,3 mil profissionais e qualificação de outros 30 mil para atuar na rede básica. Ele também disse que, em cumprimento ao plano de governo apresentado à sociedade paranaense, o Paraná atende a Emenda 29, que determina a aplicação de 12% das receitas em Saúde.

“Estamos dedicando a mesma atenção e empenho para todos os setores, trabalhando para proporcionar melhor qualidade de vida a nossa gente”, concluiu.