Redação com AEN

O governador Bericha professoresto Richa confirmou nesta sexta-feira (20) o pagamento da incorporação de 0,6% no salário dos professores da rede estadual do Paraná na folha de setembro. Além disso, Richa assegurou a implantação na mesma folha das promoções e progressões dos profissionais da educação do Estado. A medida vale para professores de carreira e funcionários da educação básica, que prestam serviços administrativos nas escolas.

O pagamento do 0,6% será retroativo a maio e se somará ao reajuste de 6,49% concedido naquele mês, totalizando alta de 7,11% sobre o piso do magistério. “A educação é a prioridade absoluta do nosso governo. Para atender a categoria estamos fazendo um grande esforço nesse momento em que o Estado se encontra no limite prudencial com os gastos funcionais”, destacou o governador.

Richa também afirmou que em outubro o governo adiantará a última parcela, de 3,94%, referente à equiparação salarial dos profissionais do magistério em relação aos demais servidores de nível técnico superior do Estado.

Protestos

O anúncio de Richa veio em um momento que os professores da rede estadual de ensino prometem fazer uma série de manifestações nos próximos dias, inclusive com a possibilidade de greve. Os professores reclamavam que o governo do estado não cumpriu o acordo de pagar 0,6% de reajuste salarial para equiparar o piso estadual ao piso nacional da categoria. A medida está prevista em uma lei federal e foi aprovada em uma lei estadual em junho deste ano. O governo deu um prazo de até o último dia 13 de setembro, mas não havia sinalizado o pagamento até esta sexta-feira.

Além disso, os professores e servidores da educação ainda cobram o pagamento de 42 milhões de reais em promoções que, segundo eles, está atrasado há um ano. O piso salarial dos professores estaduais é de 1.457 reais e o piso nacional é de 1.560.

Aumentos dos professores, segundo o governo:

2011: 12,80%

2012: 19,55%

2013: 7,11% (com 0,6% retroativo a maio)

Total acumulado: 44,47%

2013: 3,94% (última parcela da equiparação, em outubro)

Total em três anos: 50,16%