O governador Beto Richa confirmou nesta segunda-feira (18/02) a realização de concurso público para a contratação de 13.771 novos professores e pedagogos para a rede estadual de educação. O edital está disponível para consulta no site www.pucpr.br/concursos.

Richa destacou que nos últimos dois anos já foram contratados 17.261 profissionais concursados para o magistério para a rede de ensino. “Com o novo concurso teremos mais de 30 mil novos professores e pedagogos no quadro próprio do Estado. É uma das maiores contratações da história do Paraná na área de ensino”, afirmou o governador.

O lançamento oficial do concurso foi feito durante a inauguração do Colégio Estadual Tarsila do Amaral, em São José dos Pinhais, onde o governador inaugurou o novo espaço físico da escola. “Não temos medido esforços para melhoria na educação. Essas contratações extrapolam o que planejamos em nosso plano de governo”, afirmou o governador.

O concurso prevê cargos de nível superior, para 20 horas semanais de trabalho. As novas vagas atenderão escolas da rede estadual nos 32 Núcleos Regionais de Educação, conforme demanda de cada uma. “Nunca nos afastamos do compromisso pelo ensino de excelência, pois educação é prioridade absoluta em nosso governo”, garantiu Richa.

“Esses profissionais vão atender todo o Estado e todas as disciplinas da matriz curricular. Praticamente completaremos o quadro próprio da educação”, destacou o vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns. Segundo ele, os contratados também chegam para ampliar o contraturno escolar. “Teremos contraturno em mais de 25% das escolas estaduais”, afirmou.

CONCURSO – O edital do concurso ficará disponível a partir desta segunda-feira. Das 13.711 vagas, 10% são para afrodescendentes e 5% para pessoas com deficiência. A taxa de inscrição é de R$ 60,00. As inscrições podem ser feitas no período de 25 de fevereiro a 8 de abril.

A prova objetiva será em 19 de maio com questões de conhecimentos gerais, fundamentos da educação e específica. Os candidatos também terão prova de redação e de didática, além da prova de títulos. A validade do concurso é de um ano após a publicação do resultado com possibilidade de prorrogação por mais um ano.

COLÉGIO – Beto Richa inaugurou as novas instalações do Colégio Estadual Tarsila do Amaral, em São José dos Pinhais. A obra estava paralisada desde 2006 e foi retomada no início da nova gestão. O Estado investiu cerca de R$ 3,4 milhões no novo prédio, que tem capacidade para atender 700 estudantes dos ensinos fundamental e médio.

“Este colégio é um exemplo de que é possível termos escolas públicas de qualidade. Estamos adotando está tônica em todas as escolas da rede estadual de ensino, bem como os investimentos para a capacitação e valorização dos professores”, ressaltou Richa.

O governador informou que estão sendo executadas 1.800 obras de reestruturação e melhorias em escolas estaduais por todo o Paraná. São 38 novas escolas em obras, com a previsão de entrega ainda este ano. Outras 82 escolas já tem projetos em licitação ou elaboração.

ESTRUTURAÇÃO – O novo programa de descentralização de recursos da Secretaria de Estado da Educação está acelerando a reforma de escolas e gerando empregos em todo o Paraná. Em 2013, serão beneficiadas 500 escolas e colégios da rede estadual com repasses de até R$ 150 mil para reformas em cada estabelecimento. Em 2012 foram contempladas 173 escolas.

Além de dar mais autonomia para as escolas resolverem seus problemas, o programa de descentralização se soma a outras formas de investimentos em obras usadas pela Secretaria para construção de novas escolas, reformas, ampliações e outros.

“Iniciamos o ano letivo com muitos avanços. Novas escolas, melhoria na infraestrutura de colégios, profissionais suficientes para atender todos os alunos, merenda e transporte escolar garantidos, tudo isto é um sinal de valorização à comunidade escolar”, lembrou o secretário Flávio Arns.

A diretora do Colégio Estadual Tarsila do Amaral, Chayane Callegalim Rocha, afirmou que antes da reforma os alunos dividiam espaço com uma escola municipal. “Tínhamos apenas seis salas, não havia biblioteca e nem laboratórios. Hoje, temos condições de ofertar um bom espaço para nossos alunos”, ressaltou a diretora do colégio.

O colégio atendia, em média, 200 alunos. Neste início de ano letivo, já foram matriculados cerca de 460 alunos. O novo prédio da escola tem 3.182 metros quadrados, com 20 salas de aula, biblioteca, laboratórios de química, física, biologia e de informática, pátio, quadra poliesportiva coberta, salas administrativas, cozinha, refeitório, banheiros, elevador para deficientes e rampas de acessibilidade.

“Em questão de ensino sempre foi bom, mas não tinha espaço para praticarmos atividades. A estrutura era bem precária. Aqui teremos acesso a internet, jogos e laboratórios”, comemorou Matheus Manuel Pacheco (15), aluno do primeiro ano do ensino fundamental.