O governador Beto Richa confirmou na quinta-feira (04/04), na solenidade de abertura da ExpoLondrina 2013, que pretende duplicar a PR-445 de Londrina ao trevo de Mauá da Serra, numa extensão de aproximadamente 80 quilômetros. A obra atenderá a uma reivindicação histórica dos moradores da região Norte.

Segundo o governador, a elaboração do projeto já foi autorizada. Richa disse que essa obra irá permitir que, com a duplicação da Rodovia do Café, entre Apucarana e Ponta Grossa, a ligação Londrina-Curitiba, de 400 quilômetros, seja inteiramente em pista dupla.

O estudo, coordenado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, deve começar ainda neste mês, está orçado em R$ 7 milhões e o prazo de conclusão é de um ano.

A duplicação da Rodovia do Café (BR-376) foi anunciada pelo governador Beto Richa no mês passado, após oficialização de acordo com a concessionária CCR-Rodonorte. O início da obra, prevista no termo de concessão da rodovia, foi antecipado em três anos. O investimento será de R$ 1,2 bilhão.

“É com diálogo e não com demagogia que estamos melhorando as rodovias do estado. Estamos cumprindo nosso compromisso de campanha, que era o de despolitizar a questão do pedágio”, afirmou Richa.

Segundo ele, seus antecessores agiram com demagogia, ora baixando a tarifa em véspera de eleição para reajustá-la em seguida, ora prometendo baixá-la ou acabar com o pedágio e não fazendo nem uma coisa nem outra. “E o que conseguiram? Nada!”.

OBRA – Dotar a PR-445 de pista dupla até seu entroncamento com a Rodovia do Café, no município de Mauá da Serra, é uma reivindicação histórica de Londrina. Em 19 de março, diversas entidades, lideradas pela Associação Comercial e Industrial de Londrina, formalizaram, em documento entregue a Richa, pedido de duplicação da rodovia entre Londrina e Mauá da Serra.

A duplicação da PR-445 no trecho urbano entre Londrina e Cambé, iniciada no final do ano passado, é, segundo Richa, o maior investimento das últimas décadas do governo do Estado em obra viária no Norte do Estado. A obra está orçada em cerca de R$ 100 milhões e prevê a duplicação de 17 quilômetros e a construção de cinco viadutos. O último viaduto construído pelo governo do estado em Londrina foi entregue em 1994.

“Estamos felizes por poder colaborar com Londrina, agora que a administração pública deixou as páginas policiais”, disse Richa, elogiando o prefeito Alexandre Kireeff por sua “competência administrativa, ética e disposição de trabalho”. Kireeff tomou posse em janeiro.

Richa anunciou também a construção de uma passarela na BR-369, em frente ao Parque Governador Ney Braga, recinto da Expo Londrina 2013.

“Vou dormir tranquilo”, reagiu o presidente da Sociedade Rural do Paraná, Moacir Sgarione. “Essa obra, desejada há muito tempo, é necessária para dar segurança aos que visitam a feira e participam de todos os eventos promovidos aqui”.