O governador Beto Richa pediu apoio da sociedade paranaense para que o Paraná obtenha R$ 15 bilhões em recursos federais ou em Parcerias Público-Privadas (PPP) para investir na modernização da infraestrutura do Estado. O tema foi debatido nesta terça-feira (16/04), no Palácio Iguaçu, durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento, que reúne as principais entidades de representação do setor produtivo do Estado.

O governador destacou que o Paraná é um dos estados que menos recebem recursos do governo federal, o que tem dificultado a execução de novas obras. “E não é por falta de projetos”, disse Richa ao apresentar uma gama de projetos para melhorar a situação das rodovias, portos, ferrovias e aeroportos. Ele ressaltou que o Estado investiu mais de R$ 100 milhões nos últimos dois anos para elaborar projetos.

O Fórum empresarial é liderado pelo presidente executivo do GRPCom, Guilherme Cunha Pereira, que ressaltou a iniciativa do governo estadual de apresentar os projetos. “Nós não tínhamos um panorama tão claro do volume de iniciativas (do Estado) já iniciadas e nos surpreendeu muito positivamente”, disse. “Se vê nesse conjunto de ações e projetos um alinhamento muito grande com o desenho estratégico que o Fórum havia elaborado”, afirmou.

O empresário reconheceu a importância da união das entidades de representação para que o Paraná tenha acesso a novos recursos. Para ele, há sensibilidade do governo federal para a força da sociedade civil organizada.

Cunha Pereira disse que é significativo que haja maior interação entre a sociedade civil organizada e o Executivo paranaense. “O diálogo entre governo e sociedade civil está ocorrendo muito bem”, disse ele. “Ficamos muito otimistas com esta atuação integrada”, afirmou o empresário.

GARGALOS – Richa disse que há enorme dedicação da equipe de governo para vencer os gargalos encontrados na infraestrutura do Paraná, apesar das barreiras impostas pela falta de recursos. “O Governo não tem capacidade de investir sozinho em infraestrutura e as parcerias ajudam nisso. Temos que somar esforços”, disse Richa.

O secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, disse que é fundamental a participação da sociedade no encaminhamento das reivindicações do Paraná por investimentos ou pela aprovação de propostas estaduais por parte do governo federal, para que haja uma modernização da infraestrutura paranaense.

Richa Filho destacou a presidentes e diretores de federações, sindicatos e entidades de classe que o Estado já investiu nos quatro modais (rodovias, portos, ferrovias e aeroportos) mais de R$ 2 bilhões. Entre os investimentos, estão R$ 840 milhões na conservação de quase 12 mil quilômetros de rodovias estaduais. Outra ação em curso é a ampliação dos investimentos no Anel de Integração, a cargo da iniciativa privada, que somam R$ 1,5 bilhão.

CORREDORES – Além disso, o Estado está fazendo projetos executivos, no valor de R$ 62 milhões, para a criação de corredores rodoviários, para duplicar e implantar terceiras faixas em rodovias com grande fluxo de veículos como a PR-445, PR-317, PR-323, PR-280 e PR-180, além de outros trechos rodoviárias. A estimativa é que os investimentos nestes corredores somem R$ 3 bilhões.

OUTROS MODAIS – Ainda na melhoria da infraestrutura, estão programados mais R$ 34 milhões em investimentos nos aeroportos regionais e aplicação de recursos estaduais na desapropriação de área para a ampliação de aeroportos gerenciados pela Infraero, como o Afonso Pena, de Londrina, Foz do Iguaçu e de Cascavel.

Na Ferroeste, o governo iniciou um processo de recuperação de maquinários, cortes de gastos e também investimentos na linha férrea e conseguiu que a empresa voltasse a obter resultados positivos. Em fevereiro, houve um crescimento de 38% do faturamento, em relação ao mesmo mês do ano anterior.

A empresa também fechou um acordo com a ALL Logística, que permitirá que o tráfego de composições de Cascavel a Ponta Grossa, levando grãos de soja do Oeste para serem processados por moedoras dos Campos Gerais.

Outra melhoria é a ampliação da frota de vagões e locomotivas, que deverá ser duplicada até o início do ano que vem, por aquisição própria e em parceria com outras empresas. Estima-se que o número de locomotivas passe de sete para treze, chegando a 170 vagões.

PORTOS – Na área portuária, o governo quer apoio dos paranaenses para que o Estado possa licitar obras para ampliar áreas dos portos de Paranaguá e Antonina, e que permitam a construção do Porto de Pontal do Paraná. O secretário disse que a MP 595, dos Portos, concentrou as decisões em Brasília e vão inviabilizar a modernização dos terminais paranaenses.

“O Paraná entregou o seu Plano Diretor dos portos em outubro do ano passado e, mesmo estando na frente dos outros estados não poderá licitar”, disse Richa Filho. Atualmente, o Paraná está investindo mais de R$ 334 milhões em obras e projetos nos portos.

Richa Filho disse que o governo estadual conseguiu recuperar o porto e fazer com que ele melhore a produtividade. Em breve, o porto será também ambientalmente correto. “As ações do governo de melhorar o escoamento da safra, hoje são exemplos para o Brasil. Agora precisamos investir mais na modernização”, afirma Richa Filho. A previsão é que o Porto tenha capacidade de obter mais de R$ 5 bilhões em

investimentos em parceria com a iniciativa privada.

Box

Empresários defendem

novos recursos para o Paraná

O Governador Beto Richa disse que por causa da concentração de receita pela União o Estado precisa trabalhar em parceria para obter mais investimentos federais para o Paraná. Ele afirmou que o Paraná já perdeu mais R$ 1 bilhão em recursos federais e ainda tem R$ 3,3 bilhões em investimentos que estão presos na burocracia federal, como os financiamentos internacionais.

Para o coordenador do Fórum Permanente de Desenvolvimento e presidente executivo da GRPCOM, Guilherme Cunha Pereira, a sociedade paranaense pode participar na obtenção de mais recursos ao Estado. “O governo Beto Richa tem muitos projetos. Temos que trabalhar em conjunto. E nos preocupa a questão do poder do Governo Federal”, disse Cunha Pereira.

Mesma posição tem o presidente do Sistema Fecomércio, Darci Piana. “Temos que fazer o nosso papel. Há a necessidade de investir nos modais da infraestrutura. Devemos pressionar o Governo Federal para termos os recursos”, disse Piana.

O presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Edson José Ramon, disse que o governo está trabalhando alinhado com as necessidades da sociedade. “Hoje vimos diversas propostas boas e, unidos, conseguiremos realiza-las. Devemos trabalhar sempre em conjunto”, disse Ramon.

Para o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Fetranspar), Sérgio Malucelli, o governo Beto Richa acerta em trabalhar junto com o setor produtivo. “Os projetos estão claros, objetivos e muito bem montados. Isso mostra as ações que o Governo do Estado está fazendo em favor da população paranaense”, disse.