Foto: ORLANDO KISSNER
Governador Beto Richa no evento da Renault nesta quarta-feira

O governador Beto Richa participou nesta quarta-feira (20) da solenidade de inauguração da nova unidade da fábrica da Renault, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Com a ampliação do parque, a empresa vai produzir 100 mil carros a mais por ano. O investimento nesta etapa do empreendimento foi de R$ 500 milhões e resultou na geração de 1.200 novos empregos.

O projeto de expansão da montadora, que projeta investir R$ 1,5 bilhão na fábrica até 2015, conta com apoio do Governo do Estado, por meio de incentivos do programa Paraná Competitivo. “Esta inauguração materializa a importante parceria que mantemos com a Renault. Ficamos orgulhosos por termos conseguido está conquista para o nosso Estado”, afirmou o governador.

Richa disse que a presença da Renault no Paraná desperta o interesse de outros grandes grupos empresariais, nacionais e internacionais, em investir no Estado. Ele adiantou que quatro montadoras estão em contato com o governo estadual para possíveis investimentos. “Com certeza, na esteira deste projeto virão novos investimentos”, disse.

“O Paraná tem sido exemplo com um modelo de industrialização que hoje é invejado e copiado em todo o Brasil”, destacou Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que também participou da solenidade.

A Renault gera no Estado 6.500 empregos diretos – dos quais 600 são engenheiros – e outros 25 mil indiretos por meio de seus fornecedores. “A conta final dessa parceria é altamente positiva, pelos benefícios que traz ao povo paranaense, com novos empregos e geração de renda”, ressaltou Richa.

“Sem o apoio do Governo do Paraná, este projeto não seria possível”, afirmou o vice-presidente da Renault para as Américas, Denis Barbier. “Um projeto de sucesso graças a sensibilidade e a presença do Estado. Temos a certeza que essa parceria trará ainda mais benefícios para o Paraná”, reforçou Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

Ampliação

Murguet disse que o forte compromisso da empresa com o Paraná pode ser medido pelo empenho da corporação para a realização da ampliação. A obra exigiu que a montadora parasse a produção de veículos durante oito semanas, enquanto 1.500 operários trabalharam 24 horas por dia para finalizar o projeto.

“Um projeto nunca antes realizado em fábricas da Renault”, destacou Murguet.
Com a ampliação, a empresa eleva sua capacidade de produção da fábrica paranaense de 280 mil para 380 mil veículos por ano (320 mil são veículos de passeio, como os modelos Sandero, Duster e Logan e 60 mil veículos comerciais leves). Operando a plena carga, a unidade tem capacidade de produzir um carro por minuto.

Paraná Competitivo

Os aportes da Renault integram o portfólio de mais de R$ 20 bilhões em investimentos atraídos para o Estado nos últimos dois anos, no maior ciclo de industrialização da história do Paraná, com o programa Paraná Competitivo.

“O Paraná retomou a total confiança dos investidores. Hoje somos o quarto Estado em geração de empregos com carteira assinada. Temos a consciência que o Estado deve caminhar lado a lado com o setor produtivo”, frisou o governador Beto Richa.

O secretário da Fazenda, Luiz Carlos Hauly, explicou que o Paraná Competitivo não trata apenas da concessão de incentivos fiscais. Ele disse que investimento que a montadora francesa faz no Paraná é resultado de um acordo que vai inclusive aumentar a arrecadação de impostos pelo governo. “O programa permite que façamos equacionamentos que atendem tanto o interesse do Estado quanto das empresas. O caso da Renault é um grande exemplo”, afirmou.

O programa de incentivos do Governo do Estado tem gerado desenvolvimento para todas as regiões do Paraná, com a criação de 120 mil novos empregos. “A conversa que tivemos com a Renault é a mesma que podemos ter com todos os investidores, e isto é um diferencial para que o Paraná se destaque”, explicou o secretário de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros.

Mercado

A Renault faturou R$ 13,8 bilhões no ano passado, com 6,6% de participação no mercado brasileiro, que é o segundo da marca no mundo. Desde a sua implantação, nos anos 1990, a Renault já investiu U$ 2,7 bilhões no Paraná.
Neste ano, a empresa ampliará sua unidade de fabricação de motores, que passará de 400 mil a 500 mil unidades por ano. Além da produção para o mercado brasileiro, os motores são exportados para outros países.