Por Luiz Henrique de Oliveira

prefs_sp (1)

(Foto: Reprodução Webmanario.com)

Uma pergunta de uma internauta e uma resposta que gerou polêmica agitam as redes sociais nesta quinta-feira (22). Questionada por meio de mensagem, a Prefeitura de São Paulo criticou a descontração das redes sociais da Prefeitura de Curitiba, afirmando que não precisa de capivara e que a maioria das pessoas que curtem a “Prefs” daqui, como ela é chamada, são internautas de outros estados. A polêmica ganhou tamanha proporção que levou a equipe de mídias sociais de Curitiba a fazer uma postagem nesta manhã, se defendendo e falando sobre o que já foi conseguido com esse trabalho diferenciado e que virou até estudo de caso.

A polêmica

A polêmica começou quando vazou a mensagem enviada pela Prefeitura de São Paulo a uma internauta, que perguntou o motivo deles não terem entrado nas ondas das ‘prefs’, que é a forma descontraída dos órgãos municipais interagirem com o público. (Com informações do Webmanario.com) Segundo a Prefeitura de São Paulo, a administração preferiu não utilizar de piadas e memes, usando apenas pontualmente expressões da internet ou ‘emoction’.

De acordo com o perfil, a justifica também está no fato da administração pública não ser entretenimento. “Colocar capivaras voando não ajuda a pessoa a ser mais cidadã ou participativa e ainda a entender o assunto abordado”, disse. Em outro ponto, a resposta cita diretamente a Prefeitura de Curitiba. “A gente tem certeza que grande parte das pessoas que curte a página de Curitiba não moram lá, portanto não se interessam se aqueles memes representam alguma mudança real no dia dia delas ou se são apenas perfumaria virtual”, afirmou o perfil.

Por fim, a página afirma que São Paulo é um cidade mal humorada e com uma imprensa que não curte nada dessa gestão. “Portanto, qualquer piada poderia virar uma polêmica gigante”, concluiu a reposta.

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de São Paulo que afirmou que a resposta dada a internauta foi feita in box e, portanto, “não foi um comentário público, muito menos uma postagem”.

Resposta

Nesta manhã, após a polêmica postagem vazar, a Prefeitura de Curitiba, sem citar nomes, rebateu e explicou o motivo de usar de memes e entretenimento, citando o fato de querer tornar Curitiba uma cidade mais humana.

Confira a postagem na íntegra:

Dentro das nossas possibilidades, todas nossas ações estão alinhadas nesse propósito, inclusive a comunicação. Vemos nas redes sociais uma ferramenta muito importante para que esse objetivo seja cumprido. Nosso esforço é para que todos os cidadãos que nos procuram sejam ouvidos. Para que isso aconteça, precisamos ter a mesma postura diante dos elogios e das críticas: uma postura de gratidão – obrigada!

Temos bons motivos para acreditar que as interações online podem tornar o mundo offline num lugar melhor. Vimos isso acontecer em diversas oportunidades: interagindo com a Prefs, vocês já se mobilizaram em mutirões de doação de sangue, de arrecadação de livros, de ação social, etc. Interagindo com a Prefs, vocês

fizeram tantas coisas bonitas que fica até difícil listar – obrigada mais uma vez!

Tudo isso só foi possível porque a Prefs teve a humildade de aceitar a linguagem e a estética que dominam as redes sociais. Entendemos que é o poder público que deve se esforçar para se aproximar das pessoas e não o contrário. Foi assim que a prefeitura virou a Prefs; um apelido que vocês nos deram e nós aceitamos – e não dá pra parar de agradecer: obrigada!

Há, entre os estudiosos e profissionais da comunicação, os que torçam o nariz para os memes que vocês compartilham por aqui. Há os que acreditem que essa é uma forma de comunicação rasa e tola, sem o potencial de transmitir mensagens complexas. Respeitamos a opinião deles, mas embasamos nosso trabalho numa outra percepção: memes são o entretenimento feito por milhões e consumido por milhões. Memes também são cultura popular e devem ser entendidos como tal, sem preconceito.