Redação

vacina-dengue

Um frasco da vacinação contém cinco doses e a recomendação é que, depois de aberta, a validade do imunizante atinja apenas seis horas. Foto: Reprodução

Recém-comercializada no Brasil, a dose da vacina contra a dengue em Curitiba pode ser encontrada ao preço médio de R$ 300. Em uma rápida pesquisa, com os quatro principais laboratórios especializados em vacinação, apenas uma possui doses imediatas para a aplicação. Outra grande rede disse  que ainda não fez a aquisição das doses e, por isso, não sabe informar qual valor será cobrado. São necessária três doses com seis meses de intervalo.

O preço máximo da vacina da Sanofi Pasteur, única que pode ser comercializada no país até o momento, é R$138,53.  As clínicas podem cobrar pela aplicação e armazenamento do produto, aumentando o preço final cobrado ao consumidor. Entretanto, a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) estabeleceu que a vacina deve estar em uma média de custo, dependendo do ICMS de cada estado.

Clientes que encontrarem doses bem acima do estipulado podem pedir recibo e denunciar os estabelecimentos, já que são necessárias três doses para que o imunizante produza a proteção prometida pelo laboratório.

Na capital, na única clínica encontrada pela redação com doses da vacina contra a dengue disponível informou que é necessário entrar em uma fila de espera para que reúna um grupo de cinco pessoas. Um frasco da vacinação contém cinco doses e a recomendação é que, depois de aberta, a validade do imunizante atinja apenas seis horas.

Preço abusivo

Segundo a Anvisa, o consumidor deve pedir a discriminação em nota fiscal do preço cobrado pela vacina e pelos serviços prestados no local. Para a agência reguladora, esta é uma forma de evitar preços abusivos. Caso seja necessário denunciar, a nota fiscal deve ser usada como prova do abuso.

“Se o preço cobrado for maior que o teto máximo estabelecido pela CMED, o estabelecimento estará sujeito a sanções, como multa, que pode variar entre R$ 590 e R$ 8,9 milhões. As denúncias relacionadas ao preço da vacina deverão ser encaminhadas para o email da CMED”, informou a Anvisa por meio de nota.

Em caso de cobrança excessiva dos serviços, o consumidor deve procurar os órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, e o Ministério Público.

Indicado para pessoas entre 9 e 45 anos, o imunizante deve ser aplicado em três doses, com intervalo de seis meses entre elas. O fabricante garante proteção contra os quatro tipos do vírus da dengue.

De acordo com os estudos, a proteção é de 93% contra casos graves da doença, redução de 80% das internações e eficácia global de pouco mais de 60% contra todos os tipos do vírus.