Redação com Agência Brasil e Gazeta do Povo

De acordo com balanço mais recente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), caminhoneiros interditaram, parcialmente ou completam01.07.13 - CAMINHONEIROente, 22 rodovias federais em seis estados nesta segunda-feira (1º). Minas Gerais é o estado mais afetado, com 12 rodovias interditadas. A BR-381, no município de Betim (MG), foi interditada totalmente, nos dois sentidos.

No Paraná, a PR-182, em Realeza, foi bloqueada por volta 11 horas. A estrada foi liberada, por volta das 14 horas, no quilômetro 464. Segundo a PRE, a mesma rodovia ficou interditada no quilômetro 459 até as 18 horas.

A rodovia BR-376, entre Ponta Grossa e Curitiba, ficou interditada entre as 15h20 e as 15h40 desta segunda-feira (1º),  devido à manifestação dos caminhoneiros. Por volta das 17h, um grupo fez um piquete no pátio de um posto de combustíveis no Distrito Industrial de Ponta Grossa.

No trevo de Castro, nos Campos Gerais, na PR-151, caminhoneiros estavam parando, no fim da tarde desta segunda-feira, os demais carreteiros, mas liberando a passagem de carros de passeio e de ônibus, informou a Gazeta do Povo.

A BR-392, no município de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, também sofreu interrupção total do tráfego. Conforme a PRF, 80 caminhoneiros bloqueiam a pista desde as 15 horas de ontem. Além de Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, com duas manifestações no total, caminhoneiros ocupam também rodovias na Bahia (três), no Espírito Santo (quatro), em Mato Grosso (uma) e no Pará (uma). Com exceção das rodovias em Betim e Santa Maria, não há bloqueio total da pista.

A Advocacia-Geral da União (AGU) aguarda informações da PRF sobre as recentes manifestações de caminhoneiros para decidir sobre ações judiciais. No domingo (30), a Justiça Federal no Rio de Janeiro deu liminar proibindo a paralisação do tráfego nas rodovias federais. A liminar foi concedida ontem pela juíza federal de plantão no Rio de Janeiro, Cynthia Leite Marques. Pela decisão, o Movimento União Brasil Caminhoneiro e seu presidente, Nélio Botelho, que convocaram os protestos, ficam sujeitos a multa de R$ 10 mil por hora que a rodovia for paralisada. A decisão é válida até 4 de julho.