Por Elizangela Jubanski

https://www.youtube.com/watch?v=oHHq2hPLjEQ

As respostas infelizes que o dono do bar Phoenix American Mex deu a uma cliente na rede social continuam dando dor de cabeça ao empresário. Na noite deste sábado (26), cerca de 250 pessoas se reuniram em frente ao restaurante, que fica no bairro Tarumã, em Curitiba, para um rolezinho. O evento foi marcado por meio do Facebook e teve mais de 8 mil notificações de comparecimento e apoio ao protesto. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada e acompanhou a manifestação dos internautas curitibanos, mas não houve registro de atos de vandalismo. Entretanto, o clima foi tenso.

A concentração aconteceu às 19h30 na Praça das Nações, ao lado do Hipermerado Extra – também mencionado nos comentários do dono do bar. Mais pessoas aderiram ao manifesto na passeata até a frente do bar. Organizado pelo estudante da Universidade Federal do Paraná Marcelo Carvalho, a intenção do rolezinho foi se manifestar contra a discriminação social e também racial. Horas antes do evento, Carvalho publicou no grupo uma mensagem dizendo que atos de baderna que passassem dos limites seriam registrados. “Com o intuito de coibirmos qualquer forma de baderna, pedimos a todos que levem seus celulares, câmeras e filmadoras. No caso de alguém passar dos limites, por favor, filmem, fotografem, registrem tudo!”.

Entre as marchas, aos gritos, os manifestantes cantaram: “Senhor, eu não me engano, o teu bar vai que ter abrir pros manos”. Chegando em frente ao Phoenix American Mex, um grupo de motociclistas, clientes do bar, fez frente à ação dos ‘rolezeiros’. A administradora Dunya de Castro, 25 anos, que estava no local e mandou um vídeo ao Portal Banda B, acredita que o dono do bar tenha pedido ao grupo de motociclistas intimidarem a manifestação. “Eles tentaram confrontar, vieram pra cima da gente, ligaram as motos e ameaçaram atropelar quem estivesse na frente. A gente tem certeza que o dono pediu para eles irem até lá”, disse a administradora.

Nesse momento, a Polícia Rodoviária Federal foi até o local para acalmar os ânimos dos dois grupos. “Ninguém foi lá para brigar”, disse Dunya. Entretanto, outro internauta que entrou em contato com a Banda B disse que os motociclistas não foram ofensivos. “Eles inclusive entraram de ré para evitar que fossem atropelados”, disse o manifestante.

O rolezinho durou cerca de 30 minutos. A reportagem tentou contato com alguns motociclistas que estavam no local, segundo o evento oficial do Facebook, mas até o fechamento da matéria nenhum deles respondeu às mensagens.

Confusão
Toda a confusão envolvendo o restaurante começou quando uma cliente, que se sentiu lesada, publicou na rede social a insatisfação com o Phoenix American Mex. O dono do bar, por meio de sua página online, rebateu às críticas com ofensas. A nota oficial do restaurante é que ele não teria escrito aquelas mensagens e, sim, um funcionário.

Notícia relacionada

Perfil de dono de bar discrimina cliente em rede social e causa polêmica em Curitiba