Os recursos para a elaboração do projeto executivo do Trem Pé-Vermelho, ramal ferroviário entre as regiões metropolitanas de Maringá e Londrina, virão do PAC 2. A informação é do secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros, que participou nesta quarta-feira (06/03), em Brasília, da cerimônia de anúncio do novo pacote que vai atender médias e grandes cidades brasileiras, representando o governador Beto Richa.

Ricardo Barros explica que o Governo do Estado havia pedido a execução total da obra, mas como o Ministério das Cidades não pode executar ligações entre cidades a opção foi contratar somente o projeto e depois decidir a forma como viabilizar a obra.

“Com o projeto vai ser possível quantificar com clareza as interferências entre as linhas de carga e de passageiro, assim como o valor total da obra e após isso poderemos construir um novo desenho para a execução da ferrovia”, informa.

O plano do governo federal prevê aplicação de R$ 1,2 bilhão no Paraná em diversas áreas. Do total, R$ 236,4 milhões serão para obras em mobilidade urbana, R$ 367,2 milhões em pavimentação e R$ 658,7 milhões em saneamento por meio de convênio do governo federal com a Sanepar.

Os prefeitos de Maringá, Roberto Pupin, e de Londrina, Alexandre Kireff, duas das cidades contempladas com obras, estiveram juntos com Ricardo Barros o evento e depois em conversa com o Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, para agradecer os investimentos.