O projeto Ciclofaixas de Lazer vai ser remodelado e o formato adotado atualmente – que se estende por quatro quilômetros na região central de Curitiba – será extinto. A decisão foi tomada durante uma reunião realizada na tarde desta sexta-feira (25) na sede da Prefeitura de Curitiba. Participaram do encontro os secretários de Esporte, Lazer e Juventude, Aluisio de Oliveira Dutra Júnior; do Trânsito, Joel Krüger; de obras, Sérgio Luiz Antoniasse; o chefe do gabinete do prefeito, Itamar Neves e o supervisor de planejamento do Ippuc, Luiz Fernando Gomes Braga.

Na reunião, foram apresentadas propostas para a criação de um novo circuito que atenda as necessidades da ciclomobilidade. As respectivas secretarias envolvidas realizarão estudos de viabilidade para a implantação de um novo circuito ciclístico de lazer. O prazo para que esse novo projeto fique à disposição dos usuários também foi determinado. “Até o aniversário de Curitiba, em 29 de março, o novo circuito tem de estar implementado”, disse o secretário de Esporte Lazer e Juventude.

Uma nova reunião envolvendo as secretarias municipais ocorrerá na próxima semana no Ippuc, inclusive com a participação de representantes do cicloativismo, para explicar o novo projeto e ouvir sugestões. “É importante a participação da sociedade neste debate. Portanto, representantes dos movimentos de cicloatividade estarão presentes”, afirmou Oliveira Dutra.

Novo circuito

O atual modelo das Ciclofaixas de Lazer será extinto no próximo dia 3 de fevereiro e dará lugar a um novo circuito que será mais atrativo e educativo. “São apenas mais dois finais de semana neste modelo. Depois a atividade da forma como é concebida termina. Num curto período de tempo, até o aniversário de Curitiba, estaremos com um novo modelo em operação”, garantiu o secretário da Smelj.

O circuito de lazer foi implantado em outubro de 2011e não tem conseguido atrair a participação dos usuários da bicicleta. Nos três primeiros domingos de janeiro, no horário de funcionamento das ciclofaixas entre 8h e 16 horas, 274 usuários, em média, pedalaram suas bikes pelo percurso na região central de Curitiba.

O modelo adotado tem sido alvo de críticas de grupos de cicloativistas e usuários desde o início. Inclusive, no primeiro domingo do projeto, ocorreu um protesto que reuniu cerca de 300 cicloativistas. Segundo eles, o circuito atual não educa os usuários e não atende a ciclomobilidade.