Por Elizangela Jubanski 

Os professores municipais deve continuar o movimento grevista, depois da reunião na manhã desta terça-feira (21) com representantes da Prefeitura de Curitiba terminar sem acordo. Uma assembleia marcada para as 14h de hoje deverá definir quais os próximos passos do movimento grevista. Após o encontro, a direção do  Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal (Sismmac) lamentou a postura da administração municipal.

Desde cedo, os professores se reuniram em dois pontos de Curitiba. As manifestações iniciaram na Praça Nossa Senhora da Selete, no Centro Cívico, e em frente à Secretaria Municipal da Educação, que fica no edifício Delta, no Alto da Glória. A reunião começou com 1 hora e meia de atraso, sem a participação do prefeito Rafael Greca (PMN) e de secretários municipais.

Professores municipais e superintendentes da prefeitura em reunião. Foto: Sismmac

A greve na semana passada foi suspensa após a confirmação do secretário de Administração e Recursos Humanos, Carlos Calderon, de que haveria uma reunião com a categoria na manhã de hoje. Assim, foi mantido o estado de greve, mas com retorno às aulas para que os alunos não fossem prejudicados.

O objetivo da categoria era a presença do prefeito Rafael Greca que ainda não participou efetivamente de nenhuma negociação, segundo o sindicato. No entanto, o Sismmac confirmou à Banda B que a reunião aconteceu sem a presença dele. Outros secretários municipais também não participaram da reunião, que contou apenas com superintendentes. A Prefeitura de Curitiba já se manifestou sobre a greve por meio de nota, onde voltou a culpar a gestão anterior pelas dívidas, mas não soube informar o motivo de o prefeito e dos secretários não comparecem à reunião.

Os professores querem que a atual gestão cumpra a lei do novo Plano de Carreira, apresente cronograma de contratação de profissionais do magistério e forneça melhores condições de trabalho. O professor de Educação Física da rede municipal, Arthur Zwolinski Prates, está na Praça da Salete e disse à Banda B que o prefeito Rafael Greca está descumprindo uma lei. “Na verdade, queríamos que a reunião acontecesse aqui na Prefeitura, mas eles não querem. Querem que seja lá no Delta, então vamos sair daqui e fazer uma caminhada até lá. Estamos na lita pelo nosso Plano de Carreira, é lei, está prevista na lei Orçamentária e não tem porque não ser paga, se ele não pagar, está descumprindo uma lei. O prefeito não participa das reuniões, nunca está na Prefeitura”, criticou.

Escolas 

Segundo balanço oficial da Secretaria Municipal da Educação, 62 das 185 escolas municipais estão sem atendimento nesta manhã. Os CMEIs funcionam normalmente. A orientação da Prefeitura de Curitiba é que pais entrem em contato com a escola municipal para se informar se haverá ou não aulas normais.

Já o Sismmac garante que a adesão desta segunda etapa da greve seja ainda maior e também vai informar números parciais dos fechamentos das unidades.

Notícias relacionadas

Professores municipais cruzam os braços mais uma vez nesta terça e fazem apelo para que Greca os receba

Professores municipais decidem suspender greve, mas nova paralisação já tem data

Segundo dia de greves dos professores afeta 45% das escolas estaduais; 38% das municipais não abriram