Por Elizangela Jubanski

professores-ctna

Direção do sindicato em reunião com prefeito Gustavo Fruet. Foto: Sismmac

Os professores municipais de Curitiba vão entrar em greve a partir da próxima segunda-feira (11). A decisão foi tomada no fim da tarde de ontem (4) após uma rodada de negociações com a Prefeitura de Curitiba. A categoria quer a redução do prazo de implantação do novo Plano de Carreira. Ontem, o prefeito Gustavo Fruet recebeu representantes do Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), mas afirmou que a implantação vai acontecer ao longo de 24 meses. As escolas municipais de Curitiba devem amanhecer fechadas na manhã de segunda-feira. A adesão, de acordo com o sindicato, deve ser total.

Reivindicação antiga, o novo Plano garante ao profissional do magistério melhor remuneração e crescimento linear por titulação e valorização. O sindicato afirmou, por meio de nota, que ‘a gestão de Fruet pode rever as prioridades na previsão orçamentária, ampliar o investimento na educação da cidade e garantir o enquadramento imediato’.

Durante o encontro, o prefeito convidou o sindicato a apresentar estudos do impacto financeiro da antecipação da implantação total do plano, com demonstrações objetivas de quais despesas do município poderiam ser revertidas para esse fim. A Prefeitura afirma que o projeto foi fixado em 24 meses, com pagamento gradativo de benefícios ao longo desse período.

Na tarde de hoje (5) acontece um segundo encontro entre representantes do sindicato e das secretarias municipais de Recursos Humanos e Educação para continuar o debate.