Por Felipe Ribeiro

Professoras mostram marcas provocadas pelo sol (Colaboração)

O forte sol que fez sobre Curitiba nesta terça-feira (7) causou transtornos e revolta a professores que participavam da Semana de Estudos Pedagógicos (SEP). Marcado para a Ópera de Arame por redução de custos, o evento foi alvo de críticas por parte do Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), que afirma que isso mostra mais um corte de investimentos da educação, levando a SEP para um local que não era suficiente para todos. Fotos postadas em redes sociais mostram vários professores com queimaduras provocadas pelo sol durante o evento educacional.

De acordo com Wagner Argenton, diretor do Sismmac, foi uma escolha da Prefeitura de Curitiba levar a SEP para um local distante, o que prejudicou o deslocamento e número de participantes. “Ao invés de realizar a semana pedagógica em locais apropriados e em número maior de locais, decidiram cortar investimento. Teve profissional que não conseguiu fazer a sua formação, o que nos coloca dúvida em relação à certificação, já que é importante para a carreira. O prefeito se gaba tanto da sua formação de urbanista e não previu problemas no espaço que se gaba tanto”, lamentou.

Uma das professoras que participou da SEP enviou à Banda B fotos de como ficou após o evento. “Pois bem, à convocação do novo prefeito, Rafael Greca, professores e funcionários da educação participaram da cerimônia na Ópera de Arame, à luz do dia. O resultado? Este aqui! Durante a palestra, o novo prefeito ‘apareceu’ para conversar com as professoras e diante da cena de inúmeras sombrinhas abertas para se protegerem do sol ele soltou a seguinte frase. ‘Quero parabenizar todas as professoras INTELIGENTES que trouxeram sombrinha’. A categoria já começa bem desanimada”, disse.

Guardas-chuvas tomaram conta do auditório em proteção do sol (Foto: SMCS)

Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que a realização da SEP estava prevista para acontecer no final do ano passado em quatro locais diferentes. Com objetivo de eliminar o custo de locação dos imóveis, já que o gasto seria de R$ 135 mil, a Prefeitura de Curitiba mudou o curso para a Ópera de Arame. Segundo a administração municipal, os professores tiveram oportunidade de escolher o período em que participariam (manhã, tarde ou noite).

Presença do prefeito

Greca esteve pela manhã no evento e prometeu o “melhor” dele para a educação. “Vocês sabem que tenho profunda estima pela causa da Educação e por todos vocês, professores. Vocês terão de mim o melhor. A Educação é a régua da igualdade, é a única forma de medirmos as crianças de maneira igual”, afirmou.

O Sismmac, porém, lamenta que Greca ainda não tenha recebido a categoria e já fale em nem mesmo repor a inflação aos servidores. “A situação mais grave até o momento, com declarações não oficiais porque ainda não nos receberam, é que os servidores não terão reposição da inflação acumulada do período ou a finalização do plano de carreira, que se estende há dois anos. Temos um plano aprovado em lei, previsto na lei orçamentária, e o prefeito até agora sinaliza de que não irá cumprir, o que é muito grave”, concluiu.