Os Procons integrados ao Sistema Estadual de Defesa do Consumidor do Paraná atenderam 192 mil consumidores em 2012. Só o Procon-PR atendeu, no período, 124.851 consumidores de Curitiba e Região Metropolitana. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira (20), pelo Procon-PR.

Entre os assuntos mais demandados pelos consumidores ao longo do ano passado destacam-se bancos, com 9002 atendimentos (7,21%); telefonia fixa, com 6515 atendimentos (5,21%); telefonia celular, com 6120 (4,90%); cartão de crédito, com 4916 (3,94%) e internet rápida, com 3067 atendimentos (2,46%).

MAIS RECLAMADAS – As empresas do Grupo OI (telefonia fixa, telefonia celular, TV e outras) lideram o ranking, com 7.333 atendimentos a consumidores. Em segundo lugar vem as empresas do Grupo Itaú (banco, financeira, Itaucard, Hipercard e outras), com 4.413 atendimentos.

O Grupo Claro, com 2.684 atendimentos, está em terceiro lugar no ranking, seguido pela TIM Celular, com 2.592 atendimentos; o Grupo Santander (banco, leasing e outras), com 1.663 atendimentos, e o Grupo Bradesco (banco, leasing, cartões de crédito e outras), com 1.543 registros de atendimento.

A área mais demandada pelos consumidores é a de serviços, com 52.688 atendimentos, o que representa aproximadamente 42% total de consumidores atendidos.

As áreas de produtos (com 29.261 registros) e assuntos financeiros (28.333) ficaram muito próximas em número de atendimentos, com 23% e 22% em relação ao total.

O assunto mais demandado foi “bancos”, que pertence à área que ficou em terceiro lugar no número de registros de atendimentos (assuntos financeiros). Entretanto, o assunto bancos representou 32% da demanda da área.

Constatou-se, também, o que pode ser uma tendência, que é um aumento na demanda no setor de telecomunicações: telefonia fixa, com 6515 atendimentos; telefonia celular (6.120), serviço de internet rápida (3067 registros) e TV por assinatura (2.968). Juntos, são responsáveis por 18.670 atendimentos – 15% do total e 11% maior que no ano anterior.

Os principais problemas, que se repetiram em todas as áreas pesquisadas, referem-se a cobranças (falta de informação sobre valores, cobranças duplicadas etc); problemas com contrato (alterações unilaterais, descumprimento de ofertas e publicidades enganosas) e à qualidade de produtos (vício ou má qualidade de produto ou serviço, defeitos e garantia de produtos).

Em anexo tabela com as empresas incluídas no cadastro de defesa do consumidor em 2012.

tabela