Por Felipe Ribeiro e Flávia Barros

Decisão mostra que preso deveria estar em cela separada (Foto: Flávia Barros - Banda B)

Decisão mostra que preso deveria estar em cela separada (Foto: Flávia Barros – Banda B)

Preso recentemente pelo não pagamento de pensão alimentícia, um homem entrou em contato com a Banda B nesta quarta-feira (10) para denunciar a superlotação e más condições de higiene na Delegacia de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Segundo a decisão judicial que decretou a prisão, ele deveria ser detido em cela separada a dos demais presos, mas não foi o que aconteceu e por quatro dias conviveu com aproximadamente 70 pessoas em uma cela projetada para 12.

delegaciapinhais

Delegacia de Pinhais está superlotada

Em entrevista à Banda B, ele explicou que nunca esteve preso antes, mas que viveu os piores dias da vida enquanto esteve detido. “Não há higiene, para urinar uma garrafa pet é passada entre os presos. Quem cuida do local são investigadores, pessoas que não deveriam fazer esse serviço e, para dormir, é um amontoado, já que a cela é projetada para apenas doze pessoas”, disse.

O esvaziamento das carceragens localizadas em delegacias é uma antiga reivindicação do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol). Alguns mutirões chegaram a ser realizados, mas o problema persiste. Na madrugada de terça-feira (9) presos tentaram fugir da delegacia de Campina Grande do Sul. Seis detentos conseguiram quebrar uma parede da delegacia usando uma porta de ferro. Um deles foi baleado pelo investigador de plantão e a rápida ação do policial frustrou a fuga. A cela tem capacidade para oito detentos e está superlotada, abrindo cinco vezes mais presos.

Em Pinhais, o detento comentou ainda que presenciou brigas e sentiu muito medo de ocupar o espaço. “Eles usam cabos de vassoura e de cobre para fazerem o que querem, isso com todo mundo espalhado pelo chão e em péssimas condições”, concluiu.

A Banda B entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil, que informou que reconhece a superlotação carcerária e está tratando do assunto constantemente com o Departamento de Execução Penal (Depen). Segundo apurado, na delegacia não existia nenhum adolescente custodiado, pois os menores ficam em uma sala especial provisoriamente na unidade policial.

“A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) já iniciou as obras de construção e ampliação de 14 unidades prisionais que vão acarretar a abertura de aproximadamente 7 mil novas vagas. Um exemplo dos avanços foi o esvaziamento do 5º Distrito Policial (DP) de Londrina, nesta quarta-feira (10), onde 38 presos foram transferidos para a Penitenciária Estadual de Londrina, a PEL 2”, informa a nota.