Por Felipe Ribeiro

O presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Roberto Gregório, fez duras críticas ao Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus (Sindimoc) por não permitir a saída dos ônibus que exigem a dupla-função dos trabalhadores. A decisão do Sindimoc foi motivada por uma decisão judicial que proíbe a dupla-função.

duplafuncao

Foto: Divulgação

Segundo Gregório, a Urbs cumpre todas as decisões judiciais, mas esta em questão dá um prazo de até 20 de junho para que algo seja feito. “A atitude só veio em prejuízo aos usuários. Ela foi ilegal e totalmente inconsequente, já que não houve aviso a que necessita usar o transporte coletivo”, disse.

Segundo Gregório, todas as medidas cabíveis por parte da Urbs estão sendo tomadas e foi solicitada uma reconsideração da decisão. “Nossa expectativa é de que nas próximas horas a situação esteja regularizada, contrariando essa atitude intempestiva do sindicato”, concluiu.

Pela manhã, o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, garantiu à Banda B que enquanto a lei não for cumprida nenhum micro-ônibus sai. “Nem que a Polícia Militar precise ser acionada. Em 2012 conseguimos uma lei municipal, porém a URBS e as empresas não a cumpriam. Agora entramos na Justiça e conseguimos êxito. Estou com a decisão judicial do último dia 4 na mão. Ou a lei é cumprida, ou Curitiba fica sem micro-ônibus”, afirmou.

De acordo com informações do Centro de Controle Operacional da Urbs, estão em operação agora as linhas:

Mateus Leme

Marechal Hermes

Vila Suíça

Ahú-Los Angeles

Estribo-Ahú

Fernando de Noronha

Santa Gema

Paineiras

e Nossa Senhora de Nazaré