A presidente da Petrobras Graça Forte anunciou nesta terça-feira (5) que o preço do combustível deve sofrer um novo reajuste. Isso depois dela falar sobre um lucro líquido de R$ 21,18 bilhões, o menor desde 2004. Graça quer que em 2013 a empresa continua a busca “pela paridade com os preços do petróleo e derivados”.

Entre 2012 e janeiro deste ano, a companhia aumentou três vezes o preço do diesel (alta acumulada de 16,1%) e duas vezes a gasolina (alta de 14,9%). Contudo, o preço continua defasado frente ao mercado externo. Os preços só não subiram mais devido ao receio do governo quanto à pressão inflacionária.

Segundo Foster, o “câmbio jogou contra a companhia” e resultou numa alta de 17% do preço do petróleo tipo brent (referência internacional) em reais, que foi obrigada a importar petróleo e derivados a um custo mais alto.

Em 2012, o déficit da balança comercial da estatal subiu 96%, atingindo 231 mil barris/dia. Somente as importações de gasolina subiram 102% diante da necessidade de atender ao crescimento do consumo no mercado interno. E, ao que tudo indica, a dificuldade deve persistir.