Da SMCS

A Prefeitura de Curitiba iniciou nesta segunda-feira (28) as obras para implantação da primeira faixa exclusiva para ônibus na cidade, na Rua XV de Novembro. A novidade faz parte de um projeto que visa o aumento da velocidade operacional dos ônibus, com redução do tempo de viagem. A primeira faixa exclusiva se estenderá por 2.500 metros da Rua XV, entre a Avenida Nossa Senhora da Luz e a Rua João Negrão, a uma quadra do início do calçadão, no centro da cidade. A previsão da Urbs é que até o início de junho os ônibus possam trafegar na faixa exclusiva.

inter2

Foto: Reprodução Ippuc

A criação das faixas exclusivas exige pavimentação e preparo das pistas. A previsão da Secretaria Municipal de Obras é que esta etapa seja vencida até meados de maio. Em seguida, a Secretaria Municipal de Trânsito começa a colocar a sinalização específica.

A obra vai beneficiar diretamente os 45 mil passageiros transportados diariamente pelas 11 linhas de ônibus que passam pela avenida: Rua XV/Barigui; Detran/Vicente Machado;Capão da Imbuia/Parque Barigui; Menonitas; Tarumã; Alto Tarumã; Sagrado Coração; Pinhais/Guadalupe; Interhospitais; Curitiba/Piraquara (parador) e Curitiba/Piraquara (direto).

Nesse trecho passa em média um ônibus por minuto em horários de pico. A faixa exclusiva também favorece os motoristas de carros particulares, que não terão, por exemplo, que desviar ou aguardar atrás de um ônibus parado no ponto.

Diferentes das canaletas, que são pistas segregadas por meio fio em avenidas estruturais exclusivas do sistema Expresso, com ônibus biarticulados, as faixas exclusivas serão implantadas em ruas e avenidas de trânsito compartilhado, beneficiando todos os ônibus que trafegarem no trecho, sejam ônibus articulados, comuns ou micros.

Novos trechos

O projeto inicial prevê a implantação de quase 20 quilômetros de faixas exclusivas em diferentes pontos da cidade, melhorando a operação dos ônibus e o fluxo de tráfego em ruas e avenidas mais congestionadas. Os próximos trechos serão definidos a partir de estudos em andamento, que levam em conta o desempenho operacional de cada linha de ônibus, as condições de tráfego e a capacidade das vias.

As faixas exclusivas fazem parte de um amplo projeto de melhoria do transporte coletivo que inclui desde a busca de soluções para redução de custos de operação até a inclusão de Curitiba no PAC da Mobilidade do governo federal, que prevê mais de R$ 5 bilhões para obras de mobilidade urbana na cidade.

Há duas semanas, a União liberou recursos para a primeira etapa do projeto de requalificação do Ligeirinho Inter 2 , que também será beneficiado pelas faixas exclusivas. A linha Inter II, que isolada é a mais carregada do sistema, com quase 80 mil passageiros por dia, também vai ganhar faixas exclusivas, estações mais amplas e novos ônibus articulados, com capacidade para 160 passageiros. Atualmente, dos 70 ônibus da frota, 40 são articulados e 30 são ônibus comuns, com capacidade para 100 passageiros.

Esta primeira etapa do projeto de melhoria do Inter II inclui a implantação de dois binários, formados pelas ruas Padre Germano Mayer com Camões, no bairro Cristo Rei; e Olga Balster e Nivaldo Braga, no Cajuru e a construção de uma trincheira na Avenida Nossa Senhora Aparecida, no cruzamento com as avenidas Arthur Bernardes e Mário Tourinho, um dos pontos de maior lentidão no trajeto do Inter II em horário de pico.

O projeto também prevê que 7,4 quilômetros do trajeto do Inter II sejam feitos em trechos das canaletas já existentes nas avenidas Paraná, João Gualberto e República Argentina, Padre Anchieta e Linha Verde.

Além do Inter II, foram incluídos no PAC da Mobilidade o projeto de ampliação da capacidade e velocidade das linhas de ônibus BRTs (com R$ 273 milhões destinados pelo governo federal) e a conclusão da Linha Verde, que receberá R$ 268,5 milhões.